quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Identificar-me como e com o quê? só unir-me; BH, 01º01202000; Publicado: BH, 01401102013.

Identificar-me como e com o quê? só unir-me 
Intimamente, consolidar o ser, para formar
Uma substância, uma consubstancial, só
Fundada nos costumes do normal, do habitual,
Igual ao consuetudinário, com título de cônsul,
De magistrado supremo, na Roma antiga; e
Na primeira república francesa e hoje,
Funcionário encarregado dos negócios de uma
Nação em um país estrangeiro; dignidade de
Cargo de período durante o qual uma pessoa
Exerce, na residência, ou casa, sede de
Funções em âmbito consular, a quem o chefe
Da nação pede consulta, informação consulente,
Sobre o relacionamento e comportamento de
Dois povos distintos, a obedecer a ordem de 
Consultar, não espionar; o consultante pode
Pedir conselho, ou parecer, procurar se
Informar e ler, observar, examinar antes de
Decidir; submeter como se fosse a exame
Médico, indagar até a si mesmo e meditar
Muito, agir com espírito consultivo onde não
Há espiritualidade; agir tal órgão, ou
Corporação onde hã espirituosidade de voto
Deliberativo; o consultor nada tem a fazer, o
Consultório vai à falência, mesmo o especial em
Medicar, mesmo o sentimental, empresa que dá
Assistência de caráter pessoal e sobre as relações
Do consulente, sua atitude em sociedade e
Principalmente sobre questões que envolvem sua
Vida afetiva; e enfim a consumação, o consumar dos
Fatos, o acabamento do vento, o fim do tempo, o
Tudo está consumado de Jesus Cristo; e a quantia
Mínima, fixa e obrigatória, que a era nos cobra, a
Boate nos seduz e reclamamos pela despesa; o que
Se pode ter para completar? executar um texto com
Requinte; atingir o máximo e não enganar, cumular e
Sobreviver da consumição, realizar para não consumir,
Verificar a causa da inquietação e tornar-se exímio na
Arte de vencer a depressão, é possível ser perfeito?
Pergunta o consumidor; é necessário destruir? pergunta
O consumidor, quando a humanidade vai parar de
Estragar o planeta? pergunta o ET; ainda a agir para
Inutilizar a Terra? pergunta o robô, ai, quando
Desaparecer tudo, irá afligir-se; é preciso parar de
Gastar, quando extinguir, não adianta mortificar-se, é
Só empregar a sabedoria ao utilizar; perder o instinto
Consumível enquanto é tempo, o consumo mata, os 
Gastos são gástricos, o aproveitamento de bens, ou de
Produtos são supérfluos; olhais o que causa a consumpção,
Olhais o efeito da consunção, parece um definhamento 
Lento do organismo humano, como em consequência de
Moléstia; é a prenda a ter uma consútil, uma costura que
Freia um pouco a conta, passeis a contar estrelas no céu,
Fazer operações aritméticas na areia do mar; e cálculo
De grãos de areia no deserto do Saara e esqueçais a
Situação de créditos e débitos, ou de receita e despesa;
De quantia, importância, gasto, nota, responsabilidade,
Atribuição, que importâncias têm, tenhais atenção com os
Vossos corações e cuidado com os vossos espíritos;
Imputação de impuro não aceitais nunca não, reputação
Só ao pensar e bem, nunca numa atitude má; fama só a
Boa e para o credo, o objeto perfurado, quase sempre
Redondo, que se usa em rosário, colar, miçanga; olhais o
Estresse, esqueceis a conta corrente, a escrituração, a 
Firma, a empresa; olhais a mata redonda, os que a 
Desprezam tornam-se frações, ou unidades de pequenos
Valores; e ao haver-vos com alguém, sejais cerebrais,
Para prestar, não ao dar informação, não dar cabo de 
Ninguém, melhor dar recado; desempenhar-vos de uma
Função, de uma certa incumbência satisfatoriamente,
Sem estar-vos tão furiosos e se não souberdes fazer,
Inventar, imaginar, supor que não sabeis ficar a saber, 
A levar a calma para longe, antes que queirais imputar a
Ela as vossas deficiências; nada de apresentar relatório para
Justificar, ser suficiente, bastar e pleitear a eternidade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário