sexta-feira, 25 de abril de 2014

O convívio entre as pessoas é o pior possível; BH, 0200902013.

O convívio entre as pessoas é o pior possível
E o tempo que cada uma atura uma a outra,
É o mínimo que se pode imaginar;
Há moradores que moram,
Há anos no mesmo lugar
E nunca trocaram um bom-dia,
Uma boa-tarde e uma boa-noite;
Não se fala e não se troca opinião
E não se comunica mais
E até o ato sexual é na velocidade da luz;
E na era moderna mata-se mais,
Desrespeita-se muito mais
E faz-se tudo demais,
Menos amar-se;
Falou-se em amor,
Acabou-se o papo;
E o papo é o mais furado e vazio,
Pois as informações são fictícias,
As notícias são falsas,
As propagandas enganosas;
E ainda vivemos com o espírito na era medieval,
Inda adoramos imagens de santos,
Acreditamos que homens viram santos
E que mulheres viram santas
E temos no corpo alma feudal;
É impossível um convívio saudável,
Imperam-se a esquizofrenia e a psicopatia,
Todo mundo neurótico e nervoso com todo mundo;
Até o canibalismo voltou,
Há gosto para tudo,
Para quem quer devorar
E para quem quer ser devorado;
E por mais guerra que se faça,
Não se fica satisfeito;
E mal acabou-se uma guerra ali,
Dá-se um jeito de iniciar-se outra aqui,
Mesmo que seja uma guerra particular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário