segunda-feira, 14 de abril de 2014

Como que se consegue viver num lugar; BH, 02301102013.

Como que se consegue viver num lugar,
Sem uma roda de samba,
Sem um batuque dum tantã e dum pandeiro?
Como que se consegue sobreviver num lugar,
Sem uma batucada,
Um samba de partido alto,
Um samba de mesa batido na palma da mão?
Não há um candongueiro,
Um batuqueiro sequer;
Não há um pagode,
Uma mulata requebradora,
Um passista que fale no pé;
É difícil suportar tanta solidão nos ouvidos,
Tanta ausência de bambas,
Mestres-salas e porta-bandeiras;
É impossível suportar a falta de uma roda de malandros
E pelo jeito vou morrer sem reencontrar esses tesouros;
Pelo jeito vou morrer na inanição,
Sem samba no coração;
E era tão bonito: -
"Trago o samba no sangue e não posso ficar,
Meu amor não se zangue que amanhã eu vou voltar;"
Nossa era bonito demais: -
"E trarei uma flor e uma canção,
Pois o samba é minha oração,
Quando o sol clarear,
Eu não tardo a chegar,
Pois o samba me pega e me leva a teus braços
Tão cheios de amor e de paz;"
Nossa Candeia,
Quando tu voltas,
Em quem reencarnarás a tua genialidade?
Quem será o escolhido,
Para ser o depositário fiel,
Das pérolas que deixaste de compor,
Quando partiste?
Quem será o teu porta-voz?

Nenhum comentário:

Postar um comentário