quarta-feira, 30 de abril de 2014

Tu, poeta? BH, 0300402014.

Tu, poeta?
O calango balança a cabeça afirmativamente de cima do muro;
Tu, poeta?
O beija-flor paira bailarino,
Menino dançarino no ar,
Com o bico a confirmar;
Tu, poeta?
A lagartixa desfila na passarela de areia;
Tu, poeta?
A borboleta voa magistral,
Nos palmos adiante do meu nariz;
Tu, poeta?
A joaninha esnoba-me com toda a sua beleza;
Tu, poeta?
O céu azul despreza-me da sua infinita grandeza;
Tu, poeta?
O pássaro azul canta ao sol,
A humilhar-me com a sua poesia;
Tu, poeta?
Zomba de mim,
O ecoar das ondas dos mares,
No fundo da concha;
Tu, poeta?
E até os peixes coloridos,
Nadam distraídos,
Pois contentes estão;
Tu, poeta?
Indaga-me o jardim,
Repleto de girassóis,
Rosas e jasmins;
Tu, poeta?
Ri a criança,
A querer dizer-me:
E eu,
O que sou?
Tu, poeta?
Passa o amor distante,
A levar pela mão a paz;
Tu, poeta?
E foge a felicidade de diante dos meus olhos incrédulos;
Tu, poeta?
Contorce-se minha sombra,
Como um pobre diabo cego,
Acorrentado às trevas;
Tu, poeta?
A calar-me,
Respondo em prantos:
Não,
Deus é poeta,
É a única conclusão que posso chegar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário