terça-feira, 29 de abril de 2014

Quando sabes que há algo de errado contigo; BH, 0701202013.

Quando sabes que há algo de errado contigo
E não consegues identificar a fonte do erro,
É uma tortura;
Rebola daqui,
Rebola dali,
Rebola acolá
E dá tudo errado;
E procuras
E procuras
E não encontras
Onde o erro está escondido;
E coças a cabeça
E coças a bunda
E coças o saco;
Fazes regressões mentais das lembranças,
Das memórias e das recordações
E nada;
E não acertas um alvo,
Não acertas uma mosca sequer;
E quebras a cara
E perguntas:
Onde está este erro comigo?
Onde que estou a pisar errado?
E mais de mil e uma perguntas depois
E continuas com as mesmas dúvidas;
Ai se fosse isso,
Ai se fosse aquilo,
Ai se conseguisse;
E são tantos ais,
Que viram lamentações de arrependimentos
E remorsos;
E o tempo passa e perdes o tempo
E nada para abrir o caminho,
O destino parece chumbado;
E ficas tão derrotado,
Que chega a acreditar que são maldições,
Que são pragas
E poderes das palavras;
Mas se caíres na realidade,
Darás de cara com as tuas
Incompetência e mediocridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário