sexta-feira, 4 de abril de 2014

Sem querer ofender Cuba; BH, 0301102013.

Sem querer ofender Cuba
E o seu revolucionário povo cubano,
Com todo o mal que o bloqueio imperialista,
Comandado pelo yankee povo norte-americano,
Há um lado bom nisso;
Cuba se viu livre e independente da globalização,
Do neoliberalismo e das especulações financeiras,
Do lixo do mercado e das mídias nocivas;
Hoje Cuba é um estado sem poluição,
Sem televisões com suas porcarias,
Sem jornais com seus colonistas e calunistas,
Iguais aos que temos aqui;
A opção do povo cubano é a educação superior,
A literatura e a cultura musical como o balé
E a ótima qualidade da música cubana;
A vida simples apesar da imposição,
O povo aprendeu a ser estoico,
A apreciar a natureza;
Na maioria dos países a vida é um inferno,
Terrorismo político e religioso,
Violência urbana e caos,
Falta de mobilidade,
Justiça que envergonha o povo,
Polícia que mata o povo,
Saúde que não funciona,
Educação que não educa
E a cultura do supérfluo;
Qual a nação sobreviveria mais de cinquenta
Anos de bloqueio econômico?
Só mesmo uma nação revolucionária;
Há os descontentes,
Os que dão ouvidos aos cantos das sereias,
Os que querem luzes dos holofotes;
Mas todo sacrifício vale a pena,
Para se manter a pureza de Cuba,
Longe da contaminação que impera,
Em qualquer outra nação.

Um comentário: