domingo, 26 de novembro de 2017

Bandeireiro e fabricante e vendedor de bandeiras; BH, 02050902000; Publicado: BH, 0290802013.


Bandeireiro, fabricante, e vendedor de bandeiras, 
Tu, pessoa que tira esmolas com a bandeira do Divino, que
Traz o coletivo mariato e o pedaço de pano hasteado num
Pau e que também distintivo da nação, de corporação,
De partido e de expedição armada que ao partir, em geral
Da capitania de São Vicente, depois de São Paulo, explorava
Os sertões com o fim de cativar o gentio, ou descobrir
Minas, nos fins do século XVI, a princípios do século XVIII; sem
Esquecer a espécie de tamanduá, cuja cauda se parece
Com uma bandeirola; a inflorescência da cana-de-açúcar
E do milho e a bandeira brasileira, adotada pela
República, mantém a tradição das cores nacionais -
Verde e amarelo do seguinte modo: um losango amarelo
Em campo verde a ter no meio a esfera celeste azul,
Atravessada por uma zona branca, em sentido oblíquo
E descendente da direita para a esquerda, com a
Legenda : "Ordem e Progresso" - e pontuada pelas estrelas
Entre as quais   as das Constelações do Cruzeiro, dispostas
Na sua situação astronômica, quanto à distância
E ao tamanho relativo, a representar os Estados da
República e o Distrito Federal; e hoje ninguém mais
Sabe respeitar, a começar pela maioria da classe
Política e atual presidente, que só sabem bandarrear,
Ter vida de bandarra, não gostar de trabalhar, só viajar,
Vadiar pelo mundo e mandriar; é uma corja de vadios,
Mandriões e todos deveriam passar pelo crivo do bandarilheiro,
Como se bandarilha os touros; deveria surgir um líder, como
Um bom toureiro, capinha para bandarilhar, cravar e farpear as
Bandarilhas, para que todos sejam reconhecidos de longe
E logo depois abatidos pelo povo na arena; deveria surgir
Um líder para bandar o povo, guarnecer de bandas, vestido
Para a luta e escudo; todo aquele que for enfrentar o bandão,
O grande bando da burguesia e da elite, a grande porção
Que está do lado dos poderosos, dos burgueses e levá-los
De roldão, igual ao bandaneco, saquitel usado a tira-colo,
Saquinho sem utilidade, pequeno saco de futilidade, que
A fúria do povo dispersará de bandada; iguais as aves que
Voam apavoradas sem motivo algum; e resgatar a dignidade
Do banda-forra, o filho de branco, com a negra-escrava e os
Bandas-forras, esquecidos pela história; dos curados de 
Bancroftíase, infestação pela filária de Bancroft, insetos da Bancroftose, a conhecida filaríase e só param quando o povo está Bancarroteiro, falido e em estado de bancarrota; só param quando Conseguem bancarrotear a nação, falir qualquer um para privilegiar a
Bancaria, a porção de bancos que usufrui do Proer; o governo
Parece um bancal, um pano para cobrir banco; e só merece ferro
Chumbado como fosse lagares de azeite e o governo é uma
Bananinha, é pior do que o pequeno bolo de farinha de trigo
De forma semelhante a de banana; vale menos do que um
Bananicultor, agricultor que se dedica especialmente à cultura
De banana; e está perdido num bananeiral, não sabe o que
Fazer num bananal, como uma banana-pintada, um sardento
A se lambuzar de bananada, no doce de banana da
Corrupção eterna, como se o corrupto fosse pessoa a quem a
Sorte em tudo favorece, o corrupto é bamburrista, pessoa que
Faz bamburrios, tem sorte no jogo, que bamburra e não rouba,
É uma burrice confundir bamburrice com honestidade, bamburrio
É carrascal, o lugar pedregoso onde crescem plantas, arbustos
Próprios desses terrenos  de bamburral, planta da família das Labiáceas; e espetar as almas deles no bambual, na mata de Bambus, no bambuzal, no bamboré, planta da família das Solanáceas cujo fruto é comestível, também conhecido 
Por laranjinha-do-mato; a sanefa de cortinado de porta, ou janela, o Bambolim banível, que pode ser banido para entrar a imagem, entrar A luz, o ar; o som do banjoísta, a canção do tocador de banjo Trovador, o menestrel, o bardo do amor, que dá banquetes de Serenatas, banqueteador de melodias e quebra a banquisa do casal, O acúmulo de gelo, como o flutuante nas costas marítimas; e o Universo fica pasmado, fica distraído o atencioso, banzado o Apreciador: será isso mesmo o amor? é bem diferente e deixa-me Banzativo, deixa-me pensativo, a banzear pelo quarto, de ar Banzeiro, banzé, por ter ficado agitado, igual ao mar em 
Tempestade, cambaleante na agitação do tumulto do gozo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário