segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Facies - o aspecto e a fisionomia e não é o fac-simile; BH, 020202001; Publicado: BH, 0250802013.

Facies - o aspecto e a fisionomia, não é o fac-simile,
A reprodução exata de nossa alma, ou de nosso ser, 
Ou de nosso espírito; "factotum", faz tudo o que quiseres, 
Porém, um dia pagarás a coima, pagarás a multa pela 
Alcunha, pela falsa denominação, pela ofensiva aos 
Braços da mentira; desde o revestimento natural da 
Extremidade de tua raiz, ao teu gorro puído, estás todo 
Tomado pela mentira e pela fraqueza; a boina que tu 
Ostentas não representa tua valentia e o teu toucado é 
De falso príncipe; arranca, pois, essa touca, lança-fora 
Essa coifa, basta com a couceira de tua ignorância; 
Basta do teu comportamento, que costuma dar coices 
Nas virtudes; aonde pensas que levarás tanta coiceira?
Igual ao coice da porta, morta tal parte da porta em
Que se pregam os gonzos, ou dobradiças; protejas a tua
Soleira e não sejas co-herdeiro do passado ignóbil, não
Sejas aquele que herda com outrem, as mazelas dos caracteres
Hereditários e os co-herdeiros das falsas virtudes; eleva-te,
Ao co-herdar, ao herdar em comum o bem, que sustenta no
Tempo o cogulho, o ornato arquitetônico em forma de
Repolho e dispa-te da cogula, da capa, do manto dos religiosos
Beneditinos; e também de nada vale ser importante politicamente,
Ser forte, e pescoçudo, igual ao que tem cogote proeminente,
Já que cogotudo, ou não, a morte leva do mesmo jeito; deixa
De ilusão, deixa de vaidade, ostenta na região occipital
O templo da moral, carrega no cangote o teu fardo e não 
Faça dele o teu pesadelo; e "favete língis-silenci!"
Não dar à língua a não ser a razão, conter a língua
Na mentira e não falar muito, em vão; pois "felix qui
Potuit rerum cognoscere causas", como diz Virgílio, feliz
Daquele que pode conhecer as causas das coisas; não faças
Cognominadas tuas palavras, iguais as com radical
Comum nas diferente flexões etimológicas, as cognatas e 
Derivadas do nada; da cognação de apelidar, de 
Cognominar, e esconder o cógnito, esconder o conhecido,
O ato cognático e o relativo à cognação do consanguíneo,
Do parente cognado, do parentesco meditativo, que passa o 
Tempo pensativo, cogitabundo e sorumbático; cismador
Cogitativo e que assim tenta desvendar os mistérios de 
Todos os mistérios do universo cogente, que da norma
Preceptiva, ou de ordem pública que envolve disposição
Legal que não pode ser modificada pela vontade popular;
E na mesma cofose do Beethoven, depara agora com a
Minha surdez, começou no ouvido direito, com um
Zumbido, um toque de corneta infinito e agora não
Capta mais som, igual ao cofo, espécie de cesto oblongo
De boca estreita, onde os pescadores arrecadam o peixe, os 
Camarões; e no samburá só catalonha, verdura comestível, a 
Catalogna; e a circum-navegação, a viagem do circunavegador,
Na circulação, no circunavegar pela circunavegação espacial,
Maior do que ao redor do mundo; maior do que o rodear
A navegar, do que o navegar em volta do globo, todo
Circunstanciado, enunciado com todos as circunstâncias;
Pormenorizado, prevenido e desconfiado, cismarento, com o
Coeterno que existe com outro desde sempre e coetâneo,
Coevo, contemporâneo; da mesma época, só para coerir,
Fazer a coesão, o aderir reciprocamente, mas que só
Se conjuga nas pessoas em que o acento tônico recai
Na vogal temática: coerimos em torno de um só
Ideal; e tu coeris se quiseres; coeria, se me fizesse menção
E coerias se fosses coercivo, o que se pode fazer coerção, o
Mesmo coercitivo coercível, que pode ser coagido a aceitar
A virtude, reprimido e encerrado com a mentira;
Em menor espaço coercitivo, limitativo para o mentiroso,
Ao barrar a coercibilidade na liberdade, temperada com
Coentilho, planta da família das Rutáceas, do coentro da
Coentrada, do molho de coentros; para o coelheiro, o caçador
De coelhos na coempção, na compra em comum, na
Compra recíproca , na coelheira, no recinto onde se criam
Coelhos; e quanto à parte dos arreios dos cavalos de
Tiro, que lhes cinge o pescoço, é a coalheira, para
Co-educar e educar em comum, em co-educação, nas
Co-educações que faltam às nossas evoluções, crescimentos,
E complementos; basta de ser codo, cotovelo e toco


De alguma coisa que foi cortada de alguma coisa que foi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário