quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Rapaz; BH, 02701201999; Publicado: BH, 0300802013.


Rapaz,
Tenho erguida dentro de mim,
Uma barreira de concreto armado
E encontro-me encurralado,
No mais fundo abismo,
Intransponível e perpétuo;
Não consigo passar pela barreira,
Não consigo superar o abismo;
Falta inteligência suficiente,
Falta sabedoria natural,
Coragem de animal,
Instinto de ser humano;
São parcas e inócuas as condições,
São quiméricas as letras,
Meras as palavras;
E supérfluas as emoções,
Dos mesmos velhos sonhos,
Das mesmas mortas ideias
E podres ideais;
Rapaz,
Graças a Deus que contigo,
As coisas são bem diferentes;
Não há necessidade de busca,
De saída de emergência
E boia de salvamento;
Não há necessidade de escada
E nem de lançamento de corda;
Contigo é a normalidade,
O sorriso estampado,
O semblante da felicidade;
Sempre vivi de migalhas,
De restos e de sobras;
Sempre fui um mendigo,
Sempre vivi de esmolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário