domingo, 26 de novembro de 2017

Marta e tu me matas na mata da vida; TO/SD; Publicado: BH, 0270802013.

Marta e tu me matas na mata da vida,
Bates-me e esconjuras-me na noite,
Do nosso amor; Marta danada, 
Tu ficas maluca e quebras tudo
E xingas tudo, manda-me para o inferno
E me pedes perdão;
Marta, não entendo-te, parece-me
Que não te conheço,
Parece-me que não te vejo;
Quero conhecer o teu sorriso,
Quero te entender, Marta desconhecida,
Não sei o que tu queres;
Parece-me que não sei quem és;
Tu me puxas os cabelos,
Passa-me sustos e me pareces
Uma estranha e tu fazes de tudo comigo;
E aceito tudo, porque quero conhecer-te;
Quero te ver e quero te ter,
E quero te amar;
Marta, apesar de tudo,
Quero te entender para ti ajudar a viver;
Marta, tu me matas,
Na noite da sobrevivência da vida;
Bates-me e esconjuras-me,
Mas de noite me dás o teu amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário