segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Realmente e só sei agir com modos de bugio e são tantas; BH, 0240802000; Publicado: BH, 0210802013.

Realmente e só sei agir com modos de bugio e são tantas
As momices, os trejeitos estranhos, esgares de outro
Mundo e caretas de assombrações, que pareço mais é 
Fazer parte da bugiaria; pareço mais um primata com o 
Meu bugiar, com as minhas macaquices, do que um homem,
Do que um ser humano; e que ainda penso que todos 
Bugiam como antigamente se bugiava e os símios
Bugiavam; era que a vela de cera me enganava nas sombras
Projetadas nas paredes; por mais que se escancarava
Bugalhudo, o bugalho grande da buftalmia, no aumento de
Volume do globo ocular no glaucoma infantil, não enxergava;
O que fazia era o bufonear, fazer o papel de bufão, chocarrear
E apresentar de modo burlesco, que não agradava nem aos 
Apreciadores da bufonaria, os amantes da chocarrice; era
Simplesmente simplório e piegas no meu bufir, que não era 
Nem convidado para chegar ao aparador; à mesa onde se 
Expõem os objetos necessários à uma refeição; ou para 
Serviços de iguarias, vinhos, licores, ficava totalmente
Esquecido do bufete e me sentia sem jeito, um bufarinheiro,
Um vendedor ambulante de bugigangas, de quinquilharias
E de bufarinhos, objetos de pouco valor, vendidos pelos
Negociantes imprestáveis, que me faziam perder o instinto
Bufalino; perder o tom bufador, de búfalo valentão que 
Enfrenta leão, o fungador de pescoço de "buena-dicha",
Mulher que ler a sorte, ou prediz o futuro, a cigana de aspecto
Muito bom, excelente perfume, afável carinho, generoso 
Decote, buenacho sorriso, de beijo buenaço e injustificável
Ciúme, onde depois tudo acabaria no pau, na buduna, no 
Cacete no meio da rua; fora do espírito budístico, da calmaria
E da paz relativa às doutrinas  budistas, o envolvimento no 
Final acabava no inferno astral; e sem a serenidade do búdico
Semblante, sem a tranquilidade do budismo e a meiguice do 
Buda; me sinto um budapestino cego perdido em terra
Estrangeira, natural ex-habitante de Budapeste, o budapestense
Desconhecido, sem falar outro idioma, uma buçu solitária no 
Meio da floresta; e a espécie de palmeira também chamada 
Ubuçu, sem saber o que fazer no meio do povo; um bucrânio,
Caveira de boi, empregada como ornamento arquitetônico, sem
Pedestal de exposição; um bucolista poeta que escreve bucólicas,
Analfabeto sem criatividade, sem inspiração, o buconídeo, família
De pequenas aves da ordem dos Piciformes, conhecidos vulgarmente
Como Capitães-do-mato, espécime dos Buconídeos; fora do mato,
Da natureza, do céu, cortada na bucofaringe, a parte da faringe que
Está em relação com a  boca, com um gargalo de garrafa; e no latim
Bucca, que virou buco, nome de duas plantas medicinais da família
Das Rutáceas; e que enche o bojo com toda capacidade de largura 
Do navio e o anel que formam os cabelos frisados das meninas,
Bucle do galicismo do bucre e o corte se alastrou e atingiu o 
Bucinador, músculo situado na espessura da bochecha e que atua na 
Mastigação e no ato de soprar; e a pequena tenaz, o alicate que
Usam os ourives, joalheiros, esmaltadores; nada fariam sem a
Buchela, como o bucheiro sem miúdos, o tripeiro vendedor sem
As tripas e o doge de Veneza sem o bucentauro, o galeão em que
Ele embarcava, por ocasião das suas núpcias simbólicas com o mar;
O bucarestino romântico, veio de Bucareste, Romênia, virou árvore
Da família das Leguminosas Papilionáceas, o bucare preso no
Cabresto, no buçalete do pequeno buçal, a buçalar no bucal na
Boia do flutuador, a bubuituba para bubuiar, flutuar no ar, boiar
No sentido da corrente das águas; flutuação da bubuia, da
Hérnia inguinal, a bubonocele, do grego boubon, ossos da virilha,
A íngua do bubão, o bubono do elemento designativo de composição,
Onde tudo se acabou no bubonídeo, espécime dos bubonídeos,
Família de estrigídeos a que pertencem os mochos e caburés.

Nenhum comentário:

Postar um comentário