quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Escritor é aquele que escreve igual a um enclausurado; BH, 040802000; Publicado: BH, 00802013.

Escritor é aquele que escreve igual a um enclausurado,
Igual a um presidiário, perdido nos corredores das penitenciárias,
Esquecido nos calabouços, nas masmorras, nos labirintos e nas
Celas podres das cadeias e dos xadrezes; e a literatura criada
No presídio é tal uma bobina, uma parte de circuito elétrico,
Constituído por um cilindro no qual está enrolado
Um fio em espiral, como um carretel de linha que vai
Dentro das lançadeiras das máquinas de costurar; a escrita
É um rolo de papel usado para embrulhos, ou impressão em
Máquinas rotativas e tem que ser decifrada, tem que ser 
Descoberta, traduzida, como se fosse um boato, uma notícia
Anônima que corre de boca em boca, cheia de rumores, de 
Aumentativos e de diminutivos e de altos e baixos; e o autor não 
Passa de um boateiro, tem o hábito de difundir boatos, numa 
Boataria sem igual; e distorce as artes, destrói as belas artes,
Difama as obras-primas, embriaga-se nos estabelecimentos
Noturnos de danças, nas boates de diversões; é lançado nas
Calçadas, nas sarjetas, bêbado e decrépito; em casa não recebe as 
Boas-vindas, felicitações, ou expressões de contentamento, pela 
Chegada, o que nem parece que é alguém; e no Natal
E no Ano Novo, foge dos cumprimentos, das saudações; por ocasião
Das festas, se esconde das boas-festas, faz questão de não ser
Um boa-praça, uma pessoa simpática e boa-pinta; um 
Camarada elegante, cordial e bem-posto, faz de tudo
Para não parecer uma pessoa bonita, que não dirige
De noite um boa-noite a quem quer que seja; foge,
Tem medo, é covarde, não enfrenta, se esconde sob
O agasalho de penas, ou de pele que as mulheres usam
Sobre os ombros para abrigar o pescoço, se abriga debaixo do
Boá e deixa o mundo se acabar e não liga para mulher boa,
Mulher de físico sedutor, fêmea provocante, fala que todas 
São do gênero de cobras a que pertence a jiboia e que todas
Depois que colocaram silicone, usam blusa, tipo de camisa,
Em geral de uso feminino e que nada escondem, o que
Quando eram naturais, escondiam dos demais e agora
Que estão com silicone, que são artificiais, querem
Mostrar mais e usam vestes largas, tipo usadas por operários e
Por colegiais e sofrem com o bloqueio mental; e tanto quanto
Fidel e seu povo, sofrem pelo bloqueio a Cuba, sofreram tanto
Quanto os índios no cerco militar para impedir que eles
Chegassem na localidade, perto de Porto Seguro, para que não
Tivessem acesso às festas de comemorações dos 500 anos; tanto quanto
Cuba não tem às fontes de abastecimentos exteriores e vice-versa;
Uma vergonha imposta pelos USA e que o mundo todo aplaude,
E não condena: basta de bloquear Cuba, sitiar e submeter
Aos interesses imperialistas, neoliberais, globalizantes dos USA, basta;
Um escritor é um bloco, uma porção compacta de uma substância,
Como incrustação usada para vedar cáries ao restaurar o dente;
E igual a um edifício integrante de conjunto residencial,
É uma chapa de determinada altura, de metal, ou madeira,
Resistentes, para assentar clichês; um agrupamento de pessoas,
Conjunto de políticos, ou de nações que se aliam para certos
Fins; tipo de associação carnavalesca e recreativa, caderno
De folhas descartáveis: um escritor é assim, tem avanço rápido
E fulminante de tropas militares, como uma investida policial
Aparatosa, para prender marginais, uma blitz eficiente; e tem
O final trágico de um sequestro, onde morre as vítimas
E os sequestradores; onde não se salvam as crianças e se
Terminam os amores, onde se atacam com a paz, a fazer
As guerras dos bastidores: resta só blindar o escritor, o poeta,
Revesti-los de chapas de aço, protegê-los fortemente da
Sociedade, numa proteção metálica, geralmente de aço inox, para
Que nada saia e nem entre na cabeça dele; fortificar, o
Revestimento da blindagem, que ele não exterminará a humanidade;
E não leiais a literatura da blenorragia, não leiais a
Escrita da inflamação microbiana das mucosas, em especial
Dos órgãos genitais; o escritor é uma gonorreia, um esquentamento
De blenda, de sulfeto de zinco, de minério do blefe, o logro da ação
De blefar, de iludir no jogo do pôquer, a simular e lograr ao
Ocultar sua situação de inferioridade, enganar e lograr ao
Próximo ao enganar a si mesmo, com sua blefarite nas pálpebras,
Sapiranga que o impede de enxergar o quão vil e ridículo
Ele aparece perante aos outros, na tentativa de blasonar,


Existir, e ostentar vantagem contra de mãos vazias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário