segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Como todo dublinense e natural e habitante da cidade de Dublin; BH, 0140302001; Publicado: BH, 070902013.

Como todo dublinense e natural e habitante da cidade de Dublin, 
Irlanda e reverenciador de James Joyce, meu coração também, 
Quer ver o fim da guerra sem fim, entre protestantes e católicos
E mais do que ninguém, quer ver a Irlanda de volta ao seio dos 
Irlandeses; e para enxergar este desejo, não preciso do dubleto, 
Não preciso da lupa constituída de duas lentes, a qual permite 
Acromatizar e dá uma imagem maior e sem deformação; e
Enxergo esta vontade, sem dublar meu espírito e sem fazer 
Dublagem de minha imagem, como registro das falas 
Traduzidas de um filme estrangeiro; falo com as minhas 
Próprias palavras e o pensamento que exponho, não é 
Dubitável, é a sentença de um homem, de que não se pode 
Duvidar; não existe teor dubidativo, que exprima e que 
Encerra algo de dúbio, não é um ente duvidoso quem fala; e 
Não é um ser hesitante que exprime e que tem mensagem 
Que é difícil de se definir; não é uma alma de conhecimento 
Indefinível e gostaria de deixar bem claro e não ser vago e não 
Ser indeciso e acabar de vez dentro de mim, com a qualidade 
Da dubiez e da dubiedade; destas duas coisas, gostaria de 
Ver realizadas, gostaria de ver dualizar, de tornar dual, ao refletir
A estas duas coisas ao mesmo tempo: a paz entre os cristãos 
Irmãos e a independência da Irlanda da Coroa Inglesa; e é 
Nisso aí que sou dualista; mas não sou uma pessoa sectária do
Dualismo, do sistema religioso, ou filosófico que admite a
Coexistência de dois princípios opostos eternos, necessários;
E a reunião, sob o mesmo cetro de dois Estado, a minha
Dualidade é outra e o caráter em que falo daquilo que é dual,
Não é o relativo ao número gramatical que em certas línguas,
Como o grego, indica duas pessoas, ou coisas; e o que
Escrevo, não é em forma de drusiforme, ou em forma de
Drusa, igual a agregação de cristais num mineral diferente;
Escrevo com o intuito de mudar e não como o de permanecer
Uma drupa, de fruto carnosos, cujo tegumento do caroço se
Confunde com as camadas internas do do mesocarpo; e nem
Quero aprofundar no druidismo, a religião dos druidas e meu
Texto não é druídico e o contexto não é de druidesa, a
Sacerdotisa céltica e nem o feminino do de druida, antigo
Sacerdote entre os gauleses e os bretões; e o orvalho que
Cai livre e silencioso, cujo nome já é quase uma sinfonia aos
Nossos ouvidos e não usarei o drosômetro, o instrumento
Destinado a medir o orvalho que se forma diariamente; não
Usarei drosometria, a medição do orvalho, pois quanto mais
Orvalho sinto, mais meu coração se tranquiliza; amo tanto
Quanto a droserácea, espécime das seráceas, família de
Plantas que tem por tipo a drásera, gênero de plantas,
Dicotiledôneas, carnívoras, com tentáculos granulosos nas
Folhas para pegarem pequenos animais; e se sofresse de
Dropsia, ou de hidropsia, por causa da quantidade de
Orvalho, morreria bem feliz, igual a criança que enche a
Boca de dropes, de balas, ou de caramelos, formato
Quadrado, ou redondo, geralmente acondicionados um a
Um, sem se importar com as cáries que eles vão causar; e o
Uso, o emprego terapêutico da marcha, a dromoterapia,
Para curar-me e para ganhar o pão de cada dia, pois sou
Vendedor ambulante de livros, de enciclopédia Barsa e de
Revista da editora Globo, só que até hoje inda não fui
Agraciado com nenhuma venda, pois não passo dum
Dromórnito, nome comum às aves que não sabem
Voar, não voam mas correm; e como um que sofre de 
Dromomania, ou de medo, ou de covardia e tenho impulsão
À fuga, impulsão mórbida para andar para longe, para 
Esconder-me no pendor à vida errante de dromedário, 
Espécie de camelo de pescoço curto e uma só corcova, 
Perdido no deserto do Saara, igual a um relator dentro de 
Um jornal; um penetrador da Amazônia, em cujos sertões ia 
Procurar as drogas, como um droguista, pessoa que vende 
Drogas, ou proprietário de drogaria, estabelecimento onde 
Vendem-se drogas, sem ser boca-de-fumo; e vendem porção 
Por atacado, artigos de farmácia e vai mais longe do que o 
Drogomano, ou do que o dragomano, intérprete das legações
E consulados no Oriente; e não quero terminar como se tivesse 
Deixado nada, bagatela, ou coisa de pouco valor; e quero 
Terminar a cassar a definição de droga deste texto, que ele 
Tenha a designação geral de toda substância que se emprega
Como ingrediente em tinturaria, química, ou farmácia; e levantar 
Um brinde com um drinque feito de bebida alcoólica mesmo; 
Um aperitivo à literatura, que dá um drible no tempo, dá uma 
Finta na internet e segue a driblar, a enganar os adversários 
Dos livros, como o craque a fazer rápido movimento de corpo,
A manter o domínio da bola ao fintar com classe e precisão o 
Futuro num jogo de alta visão. Término: BH, 090902013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário