terça-feira, 28 de novembro de 2017

Perdoa-me, papai; Publicado: BH, 0190802013.

Perdoa-me, papai,
Sei que não sou digno,
De ser chamado de filho,
Mas o destino quis assim;
Quando me fizeste
E estava a ser formado,
No interior da minha mãe,
Pensaste que na certa
E seria igual a ti;
Mas que decepção causei,
Em ti e em mamãe;
Desculpa-me se muitas vezes os fiz chorar,
Não tenho coragem suficiente,
Pra falar-te de homem para homem;
Mas só Deus sabe o que sinto,
Quando me lembro,
De como agia contigo;
Sei que não te terei para sempre,
Mas ainda quero te amar,
Quero conhecer-te melhor;
Minha consciência está pesada,
Só agora vi que mal fui,
E quão covarde sou;
Mas sou frágil.
Penso que todo homem é assim;
Espero um dia pagar com amor,
A vida que me déreis;
E que desperdicei,
Joguei fora tudo e pisei em cima,
Não fui o homem que esperardes;
E não me deixeis errar de novo,
Não quero causar mais dor de cabeça;
Deis-me as mãos,
Quero ser amigo,
Quero ser filho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário