quinta-feira, 24 de setembro de 2015

MIKIO, 72; BH, 030302013.

Quando curar-me, sarar-me,
Acordar sarado, todos os meus
Problemas estarão resolvidos; nasci
Determinado a ser doente, a não
Ser ser e a nem ser gente; mas a
Culpa não é minha e nem sei
De quem é e quero é procurar por um
Fim a este prolongado tempo
De paciente sem maca, sem UTI, sem
Médico, sem hospital; todos os remédios
Já ingeri, todas as injeções já
Apliquei; e comprimidos e xaropes,
Garrafadas, o que foi possível usar
Para acelerar minha cura, usei e
Tornei-me foi cada vez mais
Doente; e todo dia quando acordo
De manhã, penso: será que hoje acordei
Curado? e logo fico assombrado,
Assustado, um paciente terminal,
Que teima em sobreviver, se não
Tem o direito nem de viver; e como
É difícil se curar dessas doenças que
Atacam-nos desde o dia do nascimento;
E quando vou dormir, penso: bem,
Amanhã com certeza, devo acordar
Sarado, são, curado, livre de todas
Estas doenças que tornam-me um
Paciente sem paciência; e impaciente,
Logo descubro que, acordei pior do que
Dormir; e não dormi, não sonhei e
Vivi pesadelo a noite toda, deitado
No desconfortável velho sofá da sala;
E sonâmbulo cheguei ao trabalho
E inconsciente, voltei à casa
E lá estavam todos impacientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário