quarta-feira, 16 de setembro de 2015

MIKIO, 86; BH, 090302013.

O sangue foi drenado para tingir as
Águas do rio Nilo e as areias do
Deserto de Saara; com bomabs injetoras
De concreto, as águas foram injetadas
Nas veias; o coração endurecido, ora
Arenoso, terreno pedregulhoso, oscila
Na diástole perestroica e na sístole
Glasnost; que velho coração sentimental,
Deu lugar a um súbito coração de
Concreto? que peito moradia de
Sentidos, abriu para a insensibilidade,
A falta de nexo na fala do louco? o
Mal que causa a falta de ética, na
Fala do lúcido; e o mau que causa o
Homem com Deus, é maior do que
Causa o homem sem Deus; em nome
Do Pai, e do Filho e do Espírito Santo,
Todas as aberrações são concebidas; e o
Bisonho papa é infalível, esconde o
Maléfico, a rede de contas secretas, os
Imóveis secretos e os segredos do outro
Lado dos muros; em nome da fé, da
Hóstia, do oratório, do altar, a santa
Aparecerá em algum lugar; é santa de
Zona do baixo meretrício? é santa da
Burguesia, da elite, da mais alta escala da
Esfera social; e o sangue misturado com
Areia, sangue fluído da arena, coagulado,
É do touro, ou é do toureiro? não fomos
Avisados; fez-se pasta de sangue negro,
Tijolo de muralha, alicerce de catedrais;
E uma parte firmou o firmamento e
Outra parte embasou o fundo dos oceanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário