terça-feira, 5 de junho de 2012

Ah o trabalhador rural a esperar; BH, 0100901999.

Ah o trabalhador rural a esperar,
Cadê o assentador, o que assenta
O homem do campo na terra
Para produzir o ganha pão;
Cadê o homem que ia fazer
A almejada Reforma Agrária?
Vou cortar a jugular dele,
Com o gume da navalha,
Que usei o pau de couro,
Para suavizar e afiar;
Já vi que é só promessa
E não tem assentamento;
Todo mundo sabe que a resposta,
Está em assentar o trabalhador,
Nas terras não aproveitadas,
A anotação está na agricultura;
O lançamento em livro de contabilidade,
De todas as contas perdidas,
Com as promessas vãs,
Da vinculação do homem ao campo,
Só teremos a ganhar,
Ganhar mesmo, todo mundo;
E só faltam caráter, coragem
E boa vontade;
Chega de prometer sem fazer;
Coisa prometida não cumprida,
Compromisso não honrado,
Oferta não oferecida,
Voto vencido;
Tem de parar de sentar em cima,
Pôr firme oposição à resposta,
Que pode estabelecer um dia,
O fim do desemprego
E suavizar o sofrimento
Do povo brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário