sexta-feira, 22 de junho de 2012

Dom Helder Câmara; RJ, 0280701999.

Dom Helder Câmara,
Vão-se os homens de verdade,
Ficam-se os vermes indesejáveis;
Nem a ditadura te derrubou,
Ou dobrou-te; o medo não conheceste
E defendeste a justiça, a liberdade,
O direito humano e o amor;
Pregaste a paz e a esperança;
E aonde passaste e caminhaste,
Não viveste no arrivismo,
No sistema de vencer na vida,
A usar de quaisquer meios;
Não usufruíste do carreirismo
E nem foste um arrivista;
Arrogante contra a tortura,
Arrojado na defesa do bem,
Ousado na igreja, na libertação;
Impetuoso ao amar ao próximo.
Fruto da pobreza sem ser pobre;
Arriscaste ao enfrentar aos grandes,
Sem humilhar-te ou amesquinhar-te;
Dom Helder Câmara,
Os homens passam em caravana,
As coisas ficam aqui, a latir;
Ninguém teve arrojo maior do que o teu,
Soubeste arrojar e demonstrar,
Grande coragem e audácia,
Intrepidez e independência;
Soubeste arrastar atrás de ti a ousadia,
Arremessar poesia e fé
Aos ouvidos dos incrédulos;
Soubeste lançar-te desprevenido,
Para atrever-te a salvar as almas,
Que não podiam ser salvas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário