terça-feira, 5 de junho de 2012

Não posso parar; RJ, 080101999.

Não posso parar,
Não posso desistir;
Enquanto houver fôlego,
Tenho que continuar,
Tenho que ir adiante,
Sempre para a frente
E também avante;
Não posso chorar,
Nem sofrer e nem gritar;
Não quero a dor,
Não quero compaixão;
Só a estrada a minha frente,
Com resolução;
Quero acreditar,
Que depois da linha do horizonte,
E posso encontrar,
Uma nova moradia,
Ou um novo lar;
Não posso parar,
A minha vida é curta,
O meu tempo não dá
E preciso mudar;
Preciso me transformar,
Preciso me libertar,
Antes de morrer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário