terça-feira, 12 de junho de 2012

Jamais farei um discurso; BH, 0170801999.

Jamais farei um discurso,
Ou escreverei algo de louvor e defesa
Aos representantes da ojerizada burguesia;
Jamais farei apologia à elite
Ou um panegírico à classe política;
Nunca serei um apologista de
Fernando Henrique Cardoso, vulgo FHC,
Marco Maciel, Antônio Carlos Magalhães
E outros membros da famiglia de colarinhos-brancos;
Sou mais de fazer um apólogo,
Uma fábula de alegoria moral em que,
Dou razão e raciocínio e fala a esses
Homens animais e a essas coisas inanimadas;
Em meus apontamentos não existem
Simpatias ao neoliberalismo
E à globalização da economia,
Importação predatória e privatização
Inescrupulosa e nociva à economia
Nacional com seus resultados negativos;
Meus lembretes não serão favoráveis à maneira
Que certos políticos usam
Para se perpetuarem no poder;
Minhas notas são contra esses políticos
E nas anotações para posterior consulta,
Procuro esquecer historicamente,
Figuras e figurões nocivos ao desenvolvimento,
À prosperidade e progresso nacionais;
Sou um apontador contumaz desse párias,
Aponto todos os erros e crimes cometidos;
Sou um instrumento para fazer ponta
Na memória deles;
Nunca esquecerão de mim, como serão
Esquecidos pelo povo brasileiro;
Serei o encarregado de controlar o material
E anotar os anseios dos operários para o futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário