terça-feira, 5 de junho de 2012

Gente e se existe uma coisa; BH, 0100901999.

Gente e se existe uma coisa,
Que nunca terá o meu assenso,
É a tal da burguesia;
E algo com que não combino
E nunca terá também, meu assentimento,
É a tal da elite;
Desde mil e quinhentos,
Padecemos as misérias e mazelas,
Que tanto a burguesia e a elite,
Nos renegaram;
A assentada da dominação,
O tempo em que sem interrupção,
Já somos dominados, é a vergonha;
Uma pessoa permanece sentada,
Numa cadeira qualquer
E pensa que é dona do mundo,
E pensa que é imortal;
Com a elite o povo não tem vez,
Não existe ocasião com a burguesia;
Oportunidade e circunstância,
Favoráveis aos outros mortais;
É tempo para que a nação,
Realize um fato;
Motivo de orgulho do país,
Causa e vagar da felicidade,
Prosperidade e desenvolvimento;
Nada disso a classe dominante,
Propicia, a não ser a si mesma;
O povo só permanece assentado,
Pelo cabresto do salário mínimo;
Enquanto o banqueiro sentado,
Calcula o lucro infinito,
Conta o dinheiro sangrado,
Da costa do trabalhador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário