sexta-feira, 8 de junho de 2012

Como é que se tira; RJ, 0120201999.

Como é que se tira,
Do fundo da mente,
Uma frase contundente?
Como é que se busca,
Do fundo da alma,
A mais santa inspiração?
Como é que se consegue,
Formar no espírito,
O mais sólido pensamento?
Como é que se fabrica,
Dentro do ser,
O mais resistente paralelepípedo?
Como é que se acha,
A resposta certa,
Para todas as perguntas?
Espero um dia,
Encontrar o seio da terra,
Lançar minhas sementes
E colher os meus frutos;
E espero que todos sejam bons,
Pois se não prestarem,
Quero ser cortado feito lenha
E lançado ao fogo;
Porém, se a fumaça não subir,
Em direção ao céu,
Não serei feito de madeira de lei;
Deixe-me apodrecer, então,
Sem sossego, com minha solidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário