sexta-feira, 14 de julho de 2017

Estou sentado aqui à mesa a esperar uma reação; BH, 0260102007; Publicado: BH, 0180702014.

Estou sentado aqui à mesa a esperar uma reação,
Dizem que toda ação requer uma reação, é uma
Tal lei, não sei de quem; sei que estou a esperar
Uma reação e preciso reagir, já fui e sou agredido
De todas as maneiras e penso ser vergonhoso 
Reagir; penso até medíocre a reação; porém, hoje, 
Estou disposto a ficar aqui sentado a esperar uma 
Reação e preciso dela para sobreviver, viver e 
Existir; e o mais difícil é o existir, entro em crise e 
Em depressão, quando chego à conclusão, de que 
Não existo; fico complexado, fico sem pensar, 
Amarrado ao passado, é pânico e desespero e
Não encontro antídoto para a dor que me causa esta
Depressão e a única solução é reagir contra ela;
E como reagir sem ser mesquinho? como reagir sem 
Transformar-se num ridículo? como reagir sem causar 
Vexame? em cada um dos meus membros tenho 
Amarrada uma bola de estupidez maior do que eu; 
Cada bola pesa mais do que todo o universo junto e 
Assim, não movo nem com a mente; não movo o ser e 
Nem o espírito, eita cadeia, esta que estou a puxar; 
Não movo a alma, imagina a memória, ou a lembrança, 
Não movo a recordação, cada tentativa é morrer; cada 
Reação é sofrer, é sofrimento, é solidão, é corrente a 
Estrangular a garganta, é areia na língua, brasas nos 
Olhos, chumbo derretido no cérebro; é guilhotina a descer 
No pescoço, mão a ser decepada, corpo a ser empalado,
Inquisição católica e bula papal, ouro em nome da salvação;
E tenho medo quando chega a noite, pois tenho que dormir
E se dormir, vou sonhar e não quero sonhar; tenho medo 
De sonhar, no sonho posso ser feliz, posso existir, ser um 
Homem de verdade; e quando acordar? e quando tiver que 
Enfrentar a realidade? e quando tiver de reagir como reage 
Um homem? é aí que a vaca vai para o brejo; é aí que a 
Porca torce o rabo, é aí que a onça bebe água e a cobra 
Vai fumar, o mais chato é a hora de acordar, enfrentar o 
Cotidiano, enfrentar a vida e a morte; correr atrás do pão 
De cada dia e como fazer as coisas sem ser nenhuma 
Coisa? e como fazer as coisas sem ser coisa nenhuma?
E como fazer tudo ao não ser nada? aí, não posso acordar
E em consequência, também não posso dormir; se acordar, 
Sofro e se dormir, sonho, fico, então, numa rua sem saída, 
Fico, então, numa sinuca de bico; vivo, então, (vivo?) 
Enclausurado num mistério: bêbado sem beber, místico sem 
Ser, tonto, a procurar razão e lucidez, máquina sem 
Engrenagem; corpo sem organismo, osso sem tutano, 
Cartilagem corroída, nervos abalados, corpo sem pele e que 
Expõe a carne viva, mergulhada num tanque de sal; água, água, 
Água, grita, pede, serve vinagre, serve vinho, serve sangue, 
Grita, pede, implora, mas, todos estão mudos; todos foram 
Decapitados, as cabeças foram lançadas nos abismos e os 
Restos mortais nos precipícios; comigo não acontece assim, 
Não sou composto de cabeça e corpo, não tenho nada dentro 
De mim, não mantenho um assunto, sem falar a mentira; não 
Sustento uma conversação sem mentir inúmeras vezes e quando
Empenho a palavra, antes do galo cantar, já a neguei;
E toda vez que penso falar a verdade, passo mal, sinto
Que não tenho utilidade e tenho e sinto necessidade de
Modificação; penso na evolução da espécie e ainda não
Cheguei na pré-história, penso no criacionismo e vejo
Que Deus não teria a coragem de criar ser tão abominável
Igual a mim; tenho que culpar alguém por minha criação,
Pois não fui eu quem me criei, alguém tem que levar a 
Culpa; Deus, acredito, que, não faria algo assim, então,
Quem seria o criador, o pai de criatura tão horrível? vou
Parar por aqui, deixar de procurar, para não pensar em
Coisas piores; se um anjo achar que mereço resposta,
Trará: minha mãe fica comigo nove meses na barriga, a 
Proteger-me no seu útero, a sofrer toda a metamorfose que 
Causei e eu não valer uma centelha, não valer um sopro, dói demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário