quinta-feira, 6 de julho de 2017

Se tenho paciência para escrever e alguém um dia também terá; BH, 03090202007; Publicado: BH, 070802014.

Se tenho paciência para escrever e alguém um dia também terá 
Que, ter paciência para ler; e se não sou um "vir bonus dicendi peritus," 
Um homem bom, perito no falar, como na definição do orador dada por 
Catão, imagina na arte mais difícil que, é a arte do escrever que, exige 
Mais fundamentos e conhecimentos do que, outras; tento diferenciar, 
Porém, é impossível, já dizia o nosso Ovídio: "video bona proboque, 
Deteriora sequor," vejo as coisas boas e as aprovo, mas sigo as que 
Não prestam e até hoje, o homem continua a ser assim; vide a história, 
Vê os compêndios, confira os fragmentos, equipara o passado versus
O presente e o futuro e irá de contra tudo que aprendemos, aceitamos e
Concertamos com o berço da nossa civilização; a continuidade da nossa 
Saga, só depende de nós e só a nós nos cabe e podermos ter o desejo 
De preservar, ou de continuar a nossa novela; penso que, não podemos 
Ignorar o partido que, nos é reservado na continuidade da preservação 
Da espécie; então, se alguém tem algo para dizer, cabe a nós escutarmos, 
Se a outro o legado é escrever, cabe à outra parte ler, com paciência e 
Consideração; não vivemos automaticamente, não escrevemos por 
Psicografia, tudo em nós é pensado e raciocinado; imagino em mim que, 
Por psicografia, não escreveria, não sou médium e nem metafisico e nem 
Poeta e nem filósofo e nem político; esmoreci, amei outro homem, perdi o
Tesão por ti, no outro dia quando te vi, assim, disse ela para mim e ainda a 
Querer a me fazer sorrir; chorei de desgosto, amargura e dor, uma mulher 
É um amor e sempre será uma mulher, um amor, quem quiser que, chore 
Por outra coisa que, chore por alguém, ou uma coisa, ou um caso, ou um 
Causo, choro por uma mulher, seja uma prostituta, uma freira, ou uma mãe, 
Seja uma branca, ou uma negra, desde que seja uma mulher, será digna de
Minhas lágrimas, sou um espírito assim, sou um fantasma assim, sou um 
Simulacro de homem assim; o cenotáfio do homem é o próprio homem e 
Deus não tem pena, Deus não tem misericórdia, caridade, bondade, se 
Existe algo que, Deus tem o prazer de levar à catacumba, é o homem; 
Depois que, o fez, e viu o que, tinha feito, viu que, não dava e só o que, 
Restava era o túmulo, a sepultura indiferente e o jazigo perpétuo e Deus 
Não se arrepende quando destrói o homem e tudo o mais que construiu;
E se quisesse, tirava o homem da miséria e da desgraça e da pobreza, 
Mas, parece que, interessa a Deus, como interessa a um político, manter 
Homem no cabresto, como um ser rendido e entregue à sua própria sorte, 
Destino e dimensão e não adianta promessa, nem cultos, nem cânticos 
E nem orações; não adiantam novenas, nem missas, ou procissões, 
Deus sumiu do mapa e deixou o homem na mão, por isso que, o mundo
É fome, é guerra e dores e é destruição, ingratidão; o Papa vai canonizar 
Um brasileiro, quem é o Papa? não passa dum comedor de feijão, desde 
Quando um fisiológico canoniza, ou santifica outro fisiológico? só mesmo 
Com a ausência de Deus; só mesmo com o sumiço de Deus, se Deus 
Estivesse presente, não precisava de Papa para vir enganar a gente; 
Mefistofélico, próprio de Mefistófeles, diabólico, é assim que, ficou o 
Mundo, ao deixar o homem com ar sarcástico e de cheiro nocivo, cheiro 
De podre, cheiro de algo pestilencial, mefítico mesmo; vide o Bush, George 
Walker Bush e seus seguidores e creio que, assim continuará com os seus
Sucessores; o caule na parte interna do cilindro central tem a sua medula, 
Depois vem a medula-óssea, tecido que enche a cavidade dos ossos e 
Ainda a medula-espinhal, parte do sistema nervoso central contida na 
Coluna vertebral e a supra-renal, parte interna da glândula supra-renal; 
Só eu que nasci sem medula, sem a parte mais importante, a íntima, 
Essencial e é por isto que, o que, escrevo, não encontra leitor, nem em 
Mim; nem eu mesmo tenho paciência para ler eu mesmo e não são me 
Deixes e nem esquivanças, ou desdéns fingidos, ou é a pura mateologia, 
Estudo inútil de assuntos superiores ao alcance do sentimento humano 
Mateológico; já que, sou um mateologista de escrita de mateotecnia cheia
De ciência vãs e fantásticas e jamais poderia ser moderna, revolucionária
E ter importância ou qualidade de obras surrealistas; sei que estou a registrar 
Algo neste papel, mas, não vem de mim, deve ter passado por mim, pois, 
Minha cabeça se encontra inteiramente vazia e tenho a noção de não ter 
Formulado um pensamento com noção que, seja e tenho a razão de não 
Ter nenhuma razão neste momento deste papel irracional e de desrazão.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário