quarta-feira, 26 de julho de 2017

O dia em que fizer um livro e será o que estiver bem guarnecido; BH, 01301002000; Publicado: BH, 0220102014.

O dia em que fizer um livro e será o que estiver bem guarnecido, 
Guardado dentro de mim, como se estivesse cartonado, coberto 
Com papel cartão; será, espero, uma cartonagem literária, que 
Dará para guarnecer, cobrir o espaço e o universo; e cartonar
E cobrir no local onde se registram as transações entre pessoas
Físicas e jurídicas e onde se guardam os arquivos dessas 
Transações, o cartório honesto e não o casuísta, igual
Ao teólogo que aplica as regras da razão e da religião,
Para resolver casos de consciência, aquele que explica 
A moral por meio de casos e o jurista inteiramente
Subordinado às fórmulas feitas do casuísmo, adoção passiva
De ideias, doutrinas e princípios de jurisprudência  expostos
Por outrem na casuística, que é a parte da teologia,
Que se ocupa dos sistemas dos casuístas e a aplicação
De soluções jurídicas dadas anteriormente a casos
Ocorrentes, o registro e exame de casos médicos ocorridos;
Será um livro de casuarina, árvore da família das casuarináceas
E até de casuar, ave da família dos casuarídas, semelhante
Ao avestruz; e não por casualidade, não por qualidade de
Casual, acidental, de eventualidade do acaso, mas a
Mais pura inspiração, a mais elevada criatividade e não
Só pelo mero casual, o que aconteceu por acaso, o que depende
Do fortuito eventual, que só faz esterilizar o pensamento; e
Impedir a reprodução mental, capar somo se fosse,
Extrair os órgãos do animal, os testículos, ou ovários e
Castrar a mentalidade espiritual; efeito do estresse
Capador, o indivíduo castrado e o castrador que exerce
A profissão no gado e no interior da cabeça do malgrado;
A operação de castração poética que não deixa cria, igual
Ao castor, mamífero roedor, da família dos castóridas,
De cujo pelo se fazem chapéus; a morte da espiritualidade,
O puro é escarnecido, o honesto é esculachado em
Praça pública; o que se abstém de quaisquer relações
Sexuais é zombado, por não ser de atos contrários à
Modéstia, ao pudor e à pureza moral, é desrespeitado;
É o casto que sofre o castigo, o sofrimento corporal, ou moral
Como o infligido a um culpado; é o casto que sofre a
Pena, a punição e o linchamento moral, por
Penitenciar-se; e punir-se a si próprio, a colocar às
Costas a própria cruz e ativar contra si o juramento
Com dano, sem melhorar a felicidade por não sentir
O irmão mais feliz; e tenta corrigir os erros sem cobrar
Correção dos erros alheios, vive de sofrer para fazer um 
Alguém feliz e não deixa de castigar-se pelo menor
Motivo de desatenção; é mesmo o seu castigador,
Paga preço alto e caro pela castidade, pela pureza,
Pelo comportamento correto, pela casta pura e o 
Castiço que o diferencia da maioria da humanidade; e 
É chamado de ingênuo, de bobo e de devanear
Fora da realidade e de fazer no ar fantasia e de 
Criar coisa fácil da areia frágil; e não pode entrar num
Prostíbulo e falam que vive num castelo de cartas, com 
A cabeça na parte mais elevada do convés do navio; e 
Na construção da fortaleza medieval e que sonha
Com residência senhorial e real, com casa  fortificada
E que deve tomar cuidado, por ser um castiçal de cristal,
E não peça dourada de metal; e sim de barro, de vidro
E de porcelana, igual ao que tem local na parte superior,
Para encaixar velas; é esse o caso que acontece, fazem
Ocorrência com o fato e o acontecimento se transforma em
Dificuldade, em problema; e o mundo esquece o apreço e o
Universo esquece a estima, a aventura amorosa, a tragédia;
A história, o pesadelo, o conto do vigário e a forma que pode
Apresentar em certas línguas, um nome, ou um pronome
Segundo a sua função sintática; dúvida de consciência,
Quanto ao modo de proceder de acordo com a moral
Religiosa, em todo e apesar de tudo, pensado de propósito,
Premeditadamente, herda a carta do casmurro e 
Desconhecem a sua classe; ignoram sua raça, desqualificam
Seu gênero, destroem sua família; e na Índia, por
Exemplo, não faria parte de qualquer das classes em
Que se divide a sociedade; e passa a ser um homem
Difícil de abordar, fechado, teimoso, um castelhano,
Natural de Castela, Espanha; um espanhol de língua 
Espanhola, com todo o castelhanismo, regionalismo, ou 
Dito peculiar, por extensão, um castelão, senhor de castelo;
Um alcaide castão, de ornato de osso, ou de marfim na
Parte superior de uma bengala e outros instrumentos;
E querem cassar-lhe a dignidade, anular os atos,
Suprimir-lhe a vida, tornar sem efeito, quebrar
E partir com cassação e supressão de direitos políticos
E mandatos parlamentares, coisa que não acontece
Com a maioria dos ladrões do dinheiro do povo;
Corruptores e corruptos, sonegadores e demais bandidos,
Que estão há vidas no poder, a entregar, a vender, a
Sugar, a mamar, sem nenhum conceito de ética,
Escrúpulo e preceito e princípio de vergonha; e só
Dançam castanholas com o dinheiro da nação, tocam o
Instrumento de percussão formado de duas peças
Pequenas de madeira, ou marfim, arredondadas e 
Côncavas e que se prendem aos dedos, ou pulsos do
Tocador, ligadas e a bater uma contra a outra; é
Só isso que os nossos principais políticos sabem fazer
Bem feito, castanholar e não preservar o castanho; não
Impedir o fim da madeira do castanheiro marrom,
A árvore da família das fagáceas, de nome comum de
Diversas espécies de árvores da família das bombáceas;
A castanha-do-pará das lecitidáceas e o fruto também e
A castanha do cajueiro; é hora de parar de quebrar,
De parar de derrotar, de parar de vencer o povo; e a 
Cassiterita, o mineral bióxido de estanho e minério; 
E a água no leite, dissolve a caseína, a substância 
Proteica que constitui a maior parte dos protídios
Do leite, é por isso que existe leite A, B, C, etc; e no vegetal
A matéria azotada extraída de resíduos hulhíferos,
Faz lembrar-me a cássia, o gênero de plantas ornamentais,
Da família das leguminosas e a flor dessa planta faz-me
Chorar de dor, a dor que o cassetete, o porrete de madeira,
Borracha dura, com alça para prender no pulso, não é 
Capaz de tirar um lamento daquele que não tem nada a dever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário