domingo, 2 de julho de 2017

Pensai na trajetória da terra; BH, 0180402001; Publicado: BH, 0210802014.

Pensai na trajetória da terra,
Em sua órbita, ao redor do sol, através
Da imensidão do universo; nunca descaída,
Ireis igualar em pensamento tal fato?
Pensai na velocidade que a luz do sol,
Leva para cobrir a distância que nos
Separa dele e até aonde vai essa mesma
Luz, nos limites dos confins do espaço;
Vós, caídos, inclinados, jamais formareis
Ideia de tal expressão; pensai nas
Paralelas que se encontram no infinito;
Vós, abatidos, não sereis encontrados e nunca
Encontrareis nada; pensai, aventalhados,
A lembrar-vos sempre da descaída de vossas
Insignificâncias; nunca as esqueçais, pois,
Não parareis de descair; não livrareis dos
Vossos descuidos e as vossas quedas não terão
Inflexões suaves, para baixo, será como o
Descadeirar, o bater nas ancas, o derrear um
Corpo com pancadas; e estareis sempre como
Alguém que diz estar com dor nas cadeiras;
O animal que por acidente, ou moléstia, só
Os pés; pensai, desnalgados, descadeirados,
Desacerbidos, só fazeis irritar-vos, inconvenientes;
E perder a calma como um impróprio,
E arrepelar-vos de inoportunos,
Tirar os cabelos sem cabimento; sois de descabelar-vos,
Justifica o cabelo arrancado? mas não sois de tirar a brida
Do rigoroso, cortar a dobra membranosa que retém
O órgão do duro; praticar dilatação cruenta de orifício,
De ferida no violento, mesmo com fim terapêutico,
Arreda-vos descabelados; vades desabridar-vos em terras
Bem desconhecidas; pensai em explorar, em amansar vossos desejos, limpar vossos passados e pôr em estado 
De ser cultivado os vossos pensamentos; e aprender a Estravar, sede observadores, um ser que destrava sem
Ser indecoroso, descomedido e impudico; sejais um ser
Desbragado sem demasia, com desbordo de ideias;
E encher-vos até transbordar-vos de elementos e com
Movimentos e ao desbordar-vos, desviar-vos da rota 
Sombria, ao contornar pela borda ensolarada;
Pensai em abafar então o medo e em não perder o 
Controle por efeito de drogas e desbundar-vos
Para ficar menos viva as vossas cores; e fazer 
Perder o brilho de vossos espíritos e o desbotar
De vossas almas, pensai e superai, ignorantes
Nas vossas grandes insensatezes de insignificâncias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário