segunda-feira, 3 de julho de 2017

Sofro de corruptela e uso só o modo errado de escrever as palavras; BH, 02701102000; Publicado: BH, 0190802014.

Sofro de corruptela e uso só o modo errado de escrever as palavras
E dependo da corrupção para sobreviver, corruptível, suscetível e 
Venal, sou pior do que político brasileiro, carrego a mesma fama 
De corruptor que, sofreu por ser podre corrupto, sem fazer parte 
Do governo; infeccionado sem fazer parte do ministério, adulterado
Sem ser do senado, devasso sem ser da câmara dos deputados, 
Acusado de pervertido, sem ser vereador, dissoluto sem ser prefeito
E prevaricador, sem ocupar cargo público e sem ser secretário de
Qualquer órgão de secretaria de administração, tenho que carregar 
Comigo a sina de corruptor e corrompido, daquele que, corrompe e 
Estou longe de ser um corsário de um navio armado por piratas, 
Para pilharem o dinheiro dos cofres da nação; o mar córsico de 
Brasília, enegrece o natural da Córsega, ilha do mar Mediterrâneo,
Na costa ocidental da Itália; o ataque de corso, a pirataria, vira desfile 
De mordomia, de carruagens imaginárias; só um formigueiro de 
Formigas saúvas, com designação de cortadeiras, para cortar de 
Uma vez, mas não com cortadela, com pequeno corte, mas com corte 
De facão, com decepar, tirar a mão, de deixar o braço cortado, como 
O membro que se cortou, se separou de um todo, em golpe violento, 
Pior do que com raquete no jogo de tênis, ou de pingue-pongue, e 
Fazer o gosto de roubar ficar interrompido; fazer ficar suprimido o 
Delapidar dos bens da nação, temos que andar num mar tenebroso 
Ao atravessar um período de dificuldades, trazer num suspiro de 
Ansiedade, o jeito de tratar com extrema seriedade, as coisas que, 
Dizem respeito aos interesses do país; precisamos de um cortador, 
De uma lâmina que corta, uma tesoura que corta os tecidos para 
Roupa, uma faca que corta a carne para a venda a varejo, precisamos
Dum povo cortante , afiado e extremamente frio, igual temperatura e 
Vento para servir de corta-papel, de utensílio de forma de faca, próprio 
Para cortar papel dobrado e para abrir folhas de livro, como se fosse 
Abrir os olhos de um povo; para dividir a burguesia, separar a elite, 
Fazer incisão, um talho na sociedade, ferir a classe dominante; e 
Impedir o efeito do crime organizado, cancelar a ação do colarinho-branco, 
Suprimir as ações nocivas do governo contra o povo, interromper o 
Fornecimento de dinheiro público para beneficiamento próprios e de 
Políticos, ministros, banqueiros, empresários e analisar o trabalho ante 
De cada carteamento, aprovar em exame ou prova de habilitação o uso 
Das cartas marcadas; falar mal de alguém que queira  atravessar 
Influência ao cruzar o poder, atalhar o caminho para chegar mais rápido 
Ao lucro, impedir o lobby em benefício das grandes empresas, obstar e 
Talhar conforme medida, ou molde da ética, do comportamento moral
E aquele que não souber manipular o instrumento da grandeza e do bem, 
Venha ferir-se gravemente, como se usasse um instrumento de corte, de 
Incisão de fio de gume cortante e a porção só a necessária; a medida 
Certa do pano, tal a de um vestido, ou de uma roupa masculina e juntar a 
Supressão, a diminuição, a interrupção para a abertura feita em um morro, 
Eliminar, ou atenuar a rampa, a estrada que acelera o abate de gado para 
Consumo; e posa para filmagem cinematográfica, com conclusão de uma 
Tomada de sorriso, de montagem de filme, para mostrar em transição 
Direta de um plano a outro, o desenho da mentira, a maquete da falsidade
Que, dão uma visão vertical de um edifício, de uma máquina que, 
Transforma tudo em horizontal, em sucata, em monte de lixo e em miséria, 
Em miseráveis da pobreza, da desgraça, que um dia terá que ter fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário