quarta-feira, 30 de maio de 2018

Coitado e não tem pupila em lugar nenhum; BH, 06080702006; Publicado: BH, 01100902009.

Coitado e não tem pupila em lugar nenhum
E nem comum, não tem
Íris na pele e nem nos poros; coitado
Nasceu sem sobrancelhas, com ausência
De pálpebras, perdeu as pestanas, os cílios,
Parece uma rosa sem pétalas; coitado,
O cristalino virou trevas; o humor aquoso, a
Retina, viraram desertos de areias escaldantes;
Deus sempre soube o que fez, Deus sempre sabe
O que faz e Deus sempre saberá o que fazer; com
Ele é só ter um pouquinho de paciência
E em cada olhar nascerá um jardim e
Cada olho se transformará numa fonte de
Água fresca, num mar sereno, num universo
Azul da cor do mar, com clarividência;
Pois gosto de dizer tudo, com todas as palavras, com
Todos os nomes, pronomes e sobrenomes, não sei
Porque as pessoas gostam de comer as palavras,
Dão-nos só a metade, não demonstram vontade e
Nem ânimo de pensamento e raciocínio; não sei o
Porque dessas coisas misteriosas, densas, opacas;
Se as pedras se movessem, se arrastassem, mudassem
De formas pelos caminhos; se nos planetas as rochas
Nos recebessem com boas vindas; se nas viagens
Através dos tempos, encontrássemos sempre toda a
Sabedoria, ou a verdade, quando voltássemos á
Realidade, o sentimento e o sentido seriam outros;
A vida teria direção e o destino seria diferente,
Sentiríamos segurança, sentiríamos confiança,
Coragem e nada de medo da morte; a morte
Seria até vista com bons olhos; coitado, nunca
Teve consciência, não sabe emitir opinião e nem
Participação na realização de um sonho e assim
Procura só pesadelos e dificuldades, problemas e ainda
A infelicidade; coitado, todo dia de manhã, acorda,
Enche o pulmão de ar e olha com esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário