quarta-feira, 30 de maio de 2018

Graças garça branca; RJ, 0230201999; Publicado: BH, 012092009.

Graças garça branca
À beira do canal de lodo
Escuro de sujo
Que minha filha
Olha da janela do ônibus
Graças garça branca
Vou-me embora para o mato
Antes que o mato acabe
E acabe os bichos e os insetos
Vou virar bicho
Vou virar mato
Formiga taruira tanajura
Virar passarinho também
O carro de boi já vem
Não quero perder de vista
No horizonte da mata virgem
O morro a chapada a roça
A dança da fauna e da flora
Aflora minha alma
Cheia de esperança
Grilos e gafanhotos
Cadê as minhocas
Cadê as aranhas
Cadê as borboletas
Cadê as cores
Tudo fugiu de repente
O futuro acabou com tudo
Graças garça branca
Não quero o futuro 
Quero minha filha a olhar o mato


Da janela duma casinha de terreiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário