sábado, 12 de maio de 2018

Não tem condição, RJ, 1980; Publicado: BH, 0290202012.

Não tem condição,
Assim não dá para continuar
Ou me aceitas,
Pois não consigo mudar,
Ou não me aceitas
E vou me matar;
Não tem condição,
Só sabes reclamar,
Dizes que não presto
E que não sei amar;
Só sabes me entristecer,
Dizes que não existo
E que não sei ser;
Assim não aguento,
É demais a pressão,
Se não tiveres pena,
Vais fazer parar
O meu fraco coração;
Dês mais uma chance,
Talvez consiga melhorar
Ou do contrário podes
Arrumar as coisas
E podes me abandonar;
Se preferires,
Arrumo as coisas
E saio daqui;
Seja como quiseres,
Seja como Deus quiser;
Vou tentar não chorar,
Também não vou sorrir;
Vou sofrer e sentir dor,
Não sei viver sem paz
E sinto falta do amor;
E nas noites frias de inverno,
Vou implorar pelo teu calor;
Mas, não tem, não,
Não tem mais condição;
Vou pegar a condução,
Vou pegar o avião,
Vou sair pela contramão,
Vou morrer de solidão;
Mas, do jeito que queres,
Não sei viver mesmo, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário