domingo, 27 de maio de 2018

Tenho admiração pelas coisas paranormais; BH, 0280901999; Publicado: BH, 0310802009.

Tenho admiração pelas coisas paranormais,
Sobrenaturais, ocultas e espirituais;
O arrebatamento da alma,
Admiração extrema, enlevo,
Arroubamento e êxtase, 
Arroubo pelo meu fantasma,
A vagar no arroxar do além;
E no arroxear da noite,
Quando a arruaça começa,
Briga e baderna e bagunça,
Todos arruaceiros bêbados
E o que provoca a quebra,
Da serenidade da noite;
Destroem a arruação das casas,
O arruamento dos prédios,
Como se terremoto destruidor,
Tivesse nos visitado;
Ao acabar com os arruados do interior,
Com pequenas povoações que só esperam,
Tranquilidade e paz,
Arruar o cotidiano;
Dividir e alinhar em ruas,
Os que querem andar errantes,
Vaguear feito vagabundos,
Sem alinhamento esperado
Das paralelas no infinito;
Linhas presas por arruela,
Anel de ferro ou borracha sintética,
Usado para vedar roscas,
Das veredas por onde,
Se esvaem as peças,
Aparafusadas que fazem desgastar
O atrito do pensamento,
Com a velocidade da luz,
De encontro ao vento,
Da vida sustentada,


A vela inflada do tormento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário