terça-feira, 15 de maio de 2018

Sinto um calor intenso e não é da minha alma; BH, 0301002000; Publicado: BH, 201002013.

Sinto um calor intenso e não é da minha alma,
É uma canícula que não sei de onde vem; meu
Pensamento magricela é insuficiente para me 
Fazer chegar à alguma conclusão; sinto-me uma 
Isca presa num anzol, com linha e cana para 
Pescar e estou quase a ser engolido por um 
Peixe; sinto-me uma isca delgada, um caniço
Frágil, que não suporta sustentar uma pescaria
Em alto-mar; por isso desprezo o demônio e não
Prefiro as suas ações e as suas intensões e o
Mantenho sempre bem distante de e longe de mim,
Por mais que ele esteja a me rondar e a me sondar,
Guardo-me como a parte não destacável do talão,
Ou livro de recibos, ou cheques; não sou inábil e
Nem procuro ser  canhestro para viver; e realmente,
Não uso normalmente, a mão, ou o pé esquerdos, uso
Sempre os direitos; não sou canhoto e nem uso a
Canhota e tento só iludir-me, a pensar que o meu
Canhoneiro é a minha escrita, a pensar que o meu
Bombardeio, é o meu pensamento literário, sem
Saber, ou talvez até a saber, que bilhões de pessoas,
E de seres humanos no mundo pensam e fazem e
Escrevem as mesmas coisas que escrevo; e ao querer
Bombardear com tiros de canhão, é preferível, na
Verdade, escrever, o que não venha a dizer que seria
Canhonear só a verdade; o canhestro não é o dono
Dela, o embaraçado tem é que procurar alternativa
Para desatar o nó; o tímido precisa vencer, deixar de
Ser o desajeitado, que não sabe nada, feito às canhas,
Nada feito a extremidade superior das botas, inferior
Das calças e da peça de metal das fechaduras,
Denominadas e da artilharia e do cânhamo, a planta da
Família das urticáceas, com que se fazem cordas e outros
Artigos têxteis e às avessas; desajeitadamente, como se
Fosse feito com a mão esquerda para quem não a tem, a
Canha do canguru boxeador, mamífero marsupial da
Austrália, de até dois metros de altura e que anda aos
Saltos, não carrega o filhote no cangote; ou na região
Occipital, na mira e sim na bolsa e não o trata como 
A um traste inútil de homem; pessoa ou coisa velha, ou
Imprestável e cada um dos paus que compõem a 
Canga, o cangalho de armação de madeira, que se 
Coloca nas costas das cavalgaduras, para segurar a
Carga que elas carregam dos dois lados; cangalha
Dos óculos contra a miopia e o conjunto das armas
Do cangaceiro; o gênero de vida dos heróis históricos,
Que a sociedade queria fazer de bagaço; e de
Resíduo das uvas depois de tirado o seu líquido;
Porém o cangaço reagiu, o bandoleiro se voltou
Contra o criador, o salteador se virou contra os 
Banqueiros, os latifundiários e os coronéis e os 
Fazendeiros; o cangaceiro reinou para derrubar o jugo
E a submissão, a canga e não deixou que se prendessem
Homens no lugar de bois nos carros; acabou com a candura
Do sertanejo, ensinou-o a não ter mais qualidade de cândido
Com as forças dominadoras; acabou com a ingenuidade, a
Inocência do homem da seca, a pureza do campônio, a alvura
Do que vive na esperança que o governo trará a chuva na
Própria próxima eleição, para fazer verdejar o sertão; e que o
Político do governo irá canforar, misturar, preparar com cânfora,
Substância aromática extraída do canforeiro; e conferir cheiro 
Novo à terra, às feridas velhas e às dores do abandono e ao
Sonho canforado que não vem, ficou tudo no papel assinado
Com caneta-tinteiro, caneta com depósito para tinta a prometer
Depósito para água, prometida através de pequeno tubo de
Metal a que se encaixa a pena de escrever que não tem pena o
Sol forte, a secar o sal grosso e o cebo usado pelos cirurgiões
Para segurar o cautério da canelada, da retirada, o pontapé do
Retirante na canela sem caneleira, sem a liga muito forte que
Os atletas usam nas pernas, a não ser a árvore que dá canela,
E o pó feito da casca dessa árvore. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário