domingo, 27 de maio de 2018

Vou gritar e urrar até arrombar; BH, 0280801999; Publicado: BH, 0310802009.

Vou gritar e urrar até arrombar
Os pulmões feridos, furados;
Vou uivar atá fazer rombo no peito,
Romper a paredes dos pulmões,
Estraçalhar as cordas vocais, para
Abrir à força e com violência
Os tímpanos da burguesia; é o brado
Do arrombador das elites,
Do que arromba a sociedade e faz
Arrombamento dos alicerces
Das estruturas e das raízes
Oligarcas e nefastas, que gabam a
Arrostar a força maior; mas, vou
Encarar sem medo,
Enfrentar os causadores
Da miséria e da pobreza;
E afrontar os torturadores,
Assassinos e exterminadores;
Defrontar com eles,
Ameaçá-los com a verdade;
Arrotar a vitória,
Dar arrotos de vanglória;
Arrotear em todo lugar,
Preparar o terreno inculto,
Para a semeadura da cultura;
Soltar o arroto da cultura.
Com a emissão ruidosa pela boca
De gases de cultura,
Proveniente do estômago que quer
Arrombar-se com a cultura;
Extasiar-se com o saber,
Enlevar-se com o conhecimento
E vociferar para ninguém
Não se perder na divagação,
Na amnésia inconsequente
De um descuido da razão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário