sábado, 12 de maio de 2018

Maria morena menina moça, RJ, 1980; Publicado: BH, 0290202012,

Maria morena menina moça,
Nua no céu és demais,
Pelada refletida no firmamento,
Vais fazer os santos saltarem para fora;
Maria mulher fêmea gostosa,
Teu corpo de brasa,
Teu sexo temperado,
Teu amor infernal,
Espanta o próprio diabo
Do fundo do inferno;
Maria preta fogosa faceira,
Da boca cheirosa
E da língua ligeira,
Do beiço de mel
E da pele de véu;
Vem inteira e toda,
Para o fundo dos meus braços,
Aninha-te tal qual passarinho,
Na segurança do seu ninho;
Maria virgem santa dormia,
Desvirginada na nossa folia,
Dois entre quatro paredes,
Na nossa maior orgia:
Eu e Maria e Maria e eu;
Maria dengosa estourada amada,
Descansa na paz do sono,
No lençol alvo como a neve,
Na colcha branca de luz,
Resplandece teu corpo negro leve,
Manchado e marcado e torturado,
Pelo orgasmo do meu amor;
Morre Maria morta a gozar,
Foi direto para o céu;
Morreu em pleno auge,
Do mais alto e elevado amor;
Maria defunta cadavérica a sorrir,
A boca inda aberta e molhada,
E o sexo ainda latejante,
Dilatado e morno;
O corpo vigoroso de ébano estendido,
Os braços firmes pendidos,
Não me abraçarão mais,
Maria minha loucura,
E destruição e ruína;
Maria feliz em meus braços,
Maria morena menina imortal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário