domingo, 27 de maio de 2018

Sinto meu ânimo arrupiar-se; BH, 0280801999; Publicado: BH, 0310802009.

Sinto meu ânimo arrupiar-se,
Agastar-se contra aqueles,
Que só sabem fazer o mal;
Vou molestar a mentira,
Irritar-me contra a maldade
E aborrecer-me contra aqueles,
Que só querem a guerra
E nem ligeiramente a paz;
Sinto enfadar-se em mim,
A vontade de viver no meio
Dos que não sabem viver;
Sinto encrespar-se minha alma,
Agitar-se feito o mar,
Ao enraivecer-se contra os que,
Lançam torpedos traiçoeiros,
Em direção dos barcos perdidos,
No crespo das sombras da noite;
Meu amuo é eterno
E só vai emburrar e empacar,
Igual ao jegue teimoso;
Arrufo sozinho e aumento a rusga
Da desinteligência entre as pessoas,
O barulho dos insensatos,
A desordem dos anarquistas,
Que nem mesmo o galho de arruda,
Gênero de plantas odoríferas,
Da família das rutáceas,
Colocado atrás da orelha
É capaz de afastar; afastar
Inclusive o que só quer pensar
Em arruinar e destruir a humanidade;
Causar ruína em todo lugar,
Cair sem recursos,
Ficar a perder-se sem esperança
De despertar em tempo,
De ver na volta do mundo,


O último rasto do vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário