sábado, 12 de maio de 2018

Meu fim, Rio de Janeiro, 1980; Publicado: BH, 010302012.

Enfim é chegado o meu fim,
Vou me acabar,
Vou morrer;
Minha hora já chegou,
Não tem mais jeito, não;
Não adianta tentar fugir,
Está escrito aqui;
Hoje é o meu dia,
Agora ou vai ou racha;
Agora vou rachar,
Chegou o momento;
Agora vou quebrar,
Não tenho escolha,
Não tem escapatória;
Tenho que estender
A mão à palmatória;
Já sumiu o sol,
Tingiu o céu,
O sangue coagulou,
O coração parou;
Perdi a noção,
Perdi a consciência;
É o fim de tudo,
É o fim da vida,
Minha pobre vida,
Minha podre vida;
Não fiz nada,
Deixei tanta coisa por fazer;
Não nasci
E nem vivi
E agora chego aqui,
Ao fim da linha,
Desalinhado e derrotado;
Perdi o horizonte,
Perdi a fonte
Do saber e do conhecer,
Perdi a fé e a paixão;
Apagou-se a memória,
Voou-se a inteligência,
Desperdiçou-se o pensamento;
Bem, adeus,
É chegado o meu fim,
Agora chegou a hora,
Por favor não chora,
Não perca tua lágrima,
Não valho um pranto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário