quarta-feira, 30 de maio de 2018

Um poema para as virtudes se houver; Publicado: BH, 0190902009.

Céu azul se fosses meu
E habitasses dentro de mim
Quão grande eu seria sol
Se fosse o homem
Que o trocasse por meu coração
No vago do meu peito
Serias o imperador
Universo se eu fosse tão
Vasto quanto tu e a
Minha mente do tamanho
De um mundo do tamanho
De um planeta e pudesse ter
Eu o dom de chamá-los de
Meus e assim evadisse de
Mim a falta de sonhos e
Os pesadelos vêm ventos
Brilhas brisas orvalhos serenos que
Fazem meus olhos transformarem-se
Em poços de lágrimas e gosto
Porque quando choro sei que
Não é em vão pois choro pelos
Passarinhos pelas borboletas e também
As andorinhas que fazem festas
Em cima de minha cabeça
Deus que realmente abençoes as
Crianças todas elas que as
Coloques no céu vivas e que todas
Sejam arrebatadas por Tu porque
Só Tu podes hoje mudar a vida
Das que padecem e sofrem as reais
Conseqüências da nossa ignorância
Nossa completa falta de sabedoria para


Dar aos pequeninos um mundo melhor

Nenhum comentário:

Postar um comentário