domingo, 24 de fevereiro de 2019

Ao meu irmão Denverdan Antônio Medina; BH, 0160402002; Publicado: BH, 0701202010.

Ao meu irmão Denverdan Antônio Medina
Só Deus para perdoar os pensamentos que às vezes
Vêm às nossas cabeças e independentes das nossas vontades e 
São pensamentos rebeldes indóceis selvagens promíscuos
E injustos porém não podemos nos deixar
Dominar por eles e precisamos manter nossa independência
E per accidens ficar sem a influência deles e
Nem por acaso nos deixar iludir e mesmo por
Descuido acidentalmente se caso formos levados
Por eles colocar em nossa boca só expressões criadas
Pelos filósofos e em nossos atos e gestos grandeza
Beleza verdade e coragem e per fas et nefas
Tudo assim mesmo ao pé da letra por permitido
E não permitido a torto e a direito seja justo
Ou injusto e doa a quem doer e só não
Pode passar por nossa cabeça é a possibilidade de
Perdermos a nossa faculdade é sempre bom ter
À mão disposição para fazer alguma coisa ter direito
Concedido como a faculdade de batizar e não abrir
Mão da disposição intrínseca do homem intelectual
Moral e física de andar de entender de proceder
Bem e ser bom em qualquer reunião de cadeias
De uma ciência ou arte num instituto superior de
Ensino Direito Medicina Letras ou numa escola
De nível primário e inferior é assim que se
Chega a algo eternal é assim que conheceremos
O étero dos etérios os ventos de solstício de verão e
Já a fórmula do etilsulfúrico ácido formado pela
Ação do ácido sulfúrico sobre o álcool etílico a
Frio poderemos até a vir desconhecer igual a do
Etileno também hidrocarboneto olefínico formado
Pela combinação de dois átomos de carbono e
Quatro de hidrogênio e podemos até vir a esquecer e
Não completarão a nossa felicidade e saberemos
Ainda que a etilamina amoníaco composto
Em que o hidrogênio é substituído pelo etilo
Continuarão sem a nossa presença; pois um dia
Iremos nos evaporar iremos nos desfazer e tornar invisível a
Nossa carne e nosso corpo irá se insensibilizar como se
Fosse por meio de éter e como se algo viesse para
Nos eterizar e no fundo estaremos mortos e não
Acontecerá conosco uma eterização e sim uma
Degeneralização tal uma insensibilidade produzida pela
Aplicação de um etarismo e aí no ambiente em
Que estivermos expostos, terão que eterificar o ambiente e
Transformar em álcool ou fenol numa eterificação
Pára nos dar a impressão de que estamos na respiração de
Ar puro apesar da poluição visceral que faz fluir
Do nosso nariz filete de sangue e o diabrete
Continua a possuir as nossas trevas pensamentos
Quando estou sozinho percebo que ainda não
Atingi o valor etático e tudo que diz respeito à
Minha idade e a ingenuidade o comportamento
Etário de quem não conhece o etanol composto
Químico orgânico mais conhecido como álcool comum e
Sua fórmula é C2H3OH e vulgarmente tem o nome de
Ácido acético é o etanoico e cujas soluções aquosas
Constituem o vinagre artificial já o etanol é o
Aldeído acético ou comum e na fórmula é CH3-CHO mas
Tudo isso já sabes e não sei de nada nem da etana
E hidrocarboneto parafísico de fórmula C2H6 e
O etal substância orgânica formada pela combinação
De dezesseis átomos de carbono trinta e quatro de hidrogênio
E um de oxigênio álcool cetílico e o nome da letra que
No alfabeto grego corresponde ao nosso é eta e não
Posso esconder meu fantasma atrás da cruzeta e meu
Cadáver não cabe na saleta e não é qualquer chaveta
Que abre meu coração para por a descoberto meu
Defeito e criticar minha paixão e esvurmar meu ser e não
Será como retirar o vurmo ou pus da ferida a espremê-la e
Não sou impiedoso e nem cruel e se for desventrado
Encontrarão dentro de mim o que encontram dentro
De qualquer homem e se for estripado acharão uma
Entranha que ficará à mostra sem vergonha e
Um destripado autêntico um esviscerado normal
Que com o passar do tempo fica um tanto verde um
Verde-claro um esverdinhado que não sabe esvazar a
Ira não sabe esvaziar a raiva de duende fazer um esvão do
Rancor desvão do terror e desvãos de todos os horrores que
Atormentam a humanidade e o universo não deve
Esvaecer e o espaço não deve esvanecer e só de pensar
Assim já me causa um desmaio e sinto um desânimo
Por causa da mediocridade e quero um enfraquecimento
Da violência e um desvanecimento do medo e esvaecimento
Da covardia que impedem a evolução da raça humana e 
Mente pequena é a de desmaiado tem enfraquecido
O espírito e dissipado o ente o ser é desfeito e o
Ideal é esvaecido antes da ideia desvanecer só
O cérebro armado dissipar só a lembrança ruim desfazer-se
Só a aliança do mal desmaiar só os que estão providos
De vingança inveja esses têm um esvaecer antes da hora e
Quero algo que excita a fome um aperitivo do amor
E paz esurino de harmonia e irmandade e vivi
Atordoado toda a vida e vivi estonteado e esturvinhado
Imprestável como um esturrinho um tabaco muito
Torrado e que não serve para pitar e meu organismo
Era torrado e o sangue seco e o esqueleto queimado e 
O resto mortal esturrado até virar cinza que serviu de
Alimento ao esturnídeo dos Esturnídeos espécime de
Peixes da família que tem por tipo o esturjão que de
Tanto comer ficou estuporado paralítico atingido por
Estupor embotado de tanto devorar resto de estupidão
Que entorpece a razão que produz estupefação e morre
Várias vezes estupefativo mesmo depois de ter morrido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário