quinta-feira, 5 de julho de 2018

A minha arrancada final; BH, 0240801999; Publicado: BH, 0270602012.

A minha arrancada final
Será como a vida que se vai
Partida violenta e súbita
Como o movimento repentino
E impetuoso da morte
Como o que quer separar parte de um todo
Arrancar o feto com violência
Fazer o bicho sair ao ser puxado
Com força bruta para desrraizar 
Do útero no último instante
Antes de nascer desprender os 
Anéis os grilhões os elos as argolas
Tirar o nó da forca do pescoço
Quebrar a golilha fatal
Arrebatar todo ar possível aos pulmões
Tirar a diferença da chegada
Usar todo impulso extremo
Afastar as pedras dos caminhos
Desviar dos obstáculos
Expulsar os intrusos inimigos
Com a arrancada como o aborto
Que faz abolir a mãe ao filho
Indesejável e perturbador
Fruto de uma vergonha do amor
Vou partir agora
À partida com ímpeto
Sair subitamente fugir
Dessa placenta desse cordão
Sair dessa discussão acalorada
Esse rolo pega para capar
A briga entre a vida e a morte
O arranca-rabo entre o bem e o mal
Bati o record de velocidade
Em qualquer e toda modalidade
E saí de cena sem um arranhão
Uma única arranhadura
Só as cicatrizes na alma
Os curativos no espírito
Na pele sem nada arranhar
Escoriações leves na superfície
E as pálpebras semi-cerradas
Pela explosão da luz dos holofotes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário