quarta-feira, 18 de julho de 2018

Isto é uma bestialidade o que estou a fazer; NL, 070302009; Publicado: BH, 030402010.

Isto é uma bestialidade o que estou a fazer 
E sou humano e demasiadamente
Humano e o humano é bestial e por mais
Que queira sei que não me
Despirei da minha bestialidade e
Como dói tanta insanidade antes
Fosse um deficiente físico
Com todos os membros inutilizados
Do que ser este deficiente mental
Nunca visitei um cometa e não
Conheço nem o meu planeta e
A luz que emana de mim não
É capaz de formar um arco-íris
Meus dias já estão contados sem
Eu contar nada para ninguém
E quem sabe contar meus dias
Prefere esconder e esquecer o
Meu passado meus olhos não têm
Janelas e as portas estão cerradas e
Os que me guiam pelas veredas
Também são cegos têm as janelas
Dos olhos abertas e as portas escancaradas
Deixam transparecer mais do que
O olhar de Blimunda em jejum
Não voei pelos céus não entendi o
Azul não chorei por quem deveria
Ter chorado e quero ser considerado
Reconhecido como um bêbado de
Esquina e não passo de um alcoólatra
Anônimo só por que só sei pensar
Errado acordo e parece que não
Dormi meu corpo continua cansado
Minha alma foge de mim e
Meu espírito passa de lado não
Querem encontrar comigo para
Não morrerem envergonhados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário