sexta-feira, 27 de julho de 2018

Meu samba é assim um samba batido; NL, 0160902009; Publicado: BH, 030402010.

Meu samba é assim um samba batido
Que só fala de mim não tem cadência
De pandeiro cavaquinho ou tamborim
É um samba que ninguém quer ouvir
E quem escuta começa a rir e ao
Tentar sambar no pé se embaraça
Todo e ameaça cair e quando
Chega à mesa do bar entre umas
E outras bebe até embriagar não é
De palmas na mão nem de viola
Ou de violão é do bloco do eu
Sozinho a arrastar minhas cinzas
Nas quartas-feiras depois dos funerais
Dos carnavais pois no meu samba
A mulher não entra o amor foi apra
Escanteio e as dores são banais
Expulsa o rebolado das mulatas e as
Passistas consagradas e até a porta-bandeira
De quem eu era mestre-sala me
Deu um chá de cadeira no terreiro
Da escola e foi vista na Mangueira
De colombina a namorar arlequim 
E um pierrô de porre desafinado
Meu samba eletrônico foi eliminado
Pois é difícil fazer samba sem Cavaquinho
E Cartola Medeiros e Viola Cachaça e
Xangô Jamelão Candeia ilumineis 
Clementina e Natal resgateis este samba
Pelo amor de Deus chameis o Sargento,
Para botar ordem no pagode e o Zeca
Já não é o mesmo Guineto está tão
Quieto e aviseis ao Dudu que com fé
No Nosso Senhor do Bom Fim que pode
O dia clarear mas a batucada não vai acabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário