sexta-feira, 13 de julho de 2018

Não precises dispor de armadilhas; BH, 0230801999; Publicado: BH, 0290602012.

Não precises dispor de armadilhas
Para pegar-me sou ingênuo e bobo
Caio em qualquer cilada
Não precises prover-te de arma
Preparar-te para a guerra
Como se fosse matar-me
Prevenir-te para o pior
Fortalecer-te para a caçada
Sou fácil e notório
Podes encontrar-me
Em qualquer armarinho
Loja que vende aviamentos
Miudezas e retalhos de tecidos
E em armário embutido
Móvel fechado com prateleira
Gavetas posso ser guardado
Não sou raro e nem especial
Não precises procurar muito
Vais ao armazém da esquina
Que estarei lá exposto à vista
À venda no lugar onde se guardam
Mercadorias baratas quinquilharias
No depósito da mercearia
No meio de munição detonada
Cartuchos vazios balas perdidas
Crianças abandonadas e mendigos
Dos grandes centros urbanos
Famintos dos países africanos
Catadores de lixo
Crianças trabalhadoras das frentes
De serviços pesados das cidades
Do interior do país
Crianças violentadas 
E exploradas sexualmente
Viciados em drogas e delinquentes
Não procures me muito
É aí que encontro-me
Na injustiça na pobreza e na miséria
Que cercam nossos bolsões demográficos
Não precises ir muito longe
Estou aqui mesmo no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário