segunda-feira, 2 de julho de 2018

Minha cabeça está confusa; NL, 0190402008; Publicado: BH, 01301102009.

Minha cabeça está confusa 
E nem sei mais o que fazer já a bati contra o
Muro e já a joguei contra a parede e até
Agora ela não deu sinal de vida minha
Cabeça é assim inusitada às vezes parece viva
Outras vezes parece morta já a lancei contra
Punhos cerrados e deixei que a socassem
E continuou obtusa e nem deu bolas à
Percepção e continuou obscura chumbada e
Pesa mais de mil toneladas minha cabeça
É assim de bêbado de embriagado só escreve por
Linhas tortas e deixa-me acabrunhado tímido
Irresoluto e inseguro é uma cabeça oca habitada
Pelo vácuo e cheia de nuvens nuvens tenebrosas carregadas
De trevas inóspitas já a tentei abrir no maçarico já a
Joguei dentro do pilão e a coloquei debaixo de um
Bate-estacas e nada nem grão virou nem pó
É mais dura do que o diamante e só não
Tem é o mesmo valor já a tentei leiloar e
Ninguém a comprou é uma cabeça sem dono e
De baixa cotação parece que tem nobreza mas
É pura enganação qualquer vento à balouça
Qualquer tremor a põe no chão minha cabeça
Está perdida foi lançada dentro de um vulcão
Dói mais do que ferida e machuca mais do que
Coração é cabeça de bigorna de fornalha e de forno
De alta cremação funde o ferro e o aço por qualquer
Preocupação e não acerta um problema e nem
Resolve equação quem espera dela solução
Morre de inanição e quem requer resolução
Acaba sem pé e sem mão não espere então
E peço para não ter decepção pois cabeça
Igual à minha nunca vi não e se alguém
Já viu outra igual que dê-me informação
E até logo mais amigos até outra ocasião
Vou partir para longe pois não tenho opção
Vou procurar um fogão de lenha e fazer dela
Um tição e ir para a próxima encarnação
Nesta não dei resultado não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário