sexta-feira, 27 de julho de 2018

Pão de Ló paciência de Jó pão de Jó paciência de Ló, NL, 050602008; Publicado: BH, 020402010.

Pão de Ló paciência de Jó pão de Jó paciência de Ló
E já com o povo é assim: pão que o diabo amassou
Paciência de desesperado pão de desesperado paciência
Que o diabo amassou tudo porque as necessidades
Do povo são para ontem e mais do que urgentes
Urgentíssimas quem é do povo que ainda aguenta 
A situação que o povo vive hoje? principalmente a
Maioria do povo trabalhador e que não tem acesso aos
Privilégios das classes mais abastadas procures hoje uma
Defensoria pública meu amigo e verás o que é um
Descaso procures por qualquer necessidade órgão
Público de segurança saúde educação transporte
Jurídico habitação e notarás que para tu não
Estão nem aí os servidores responsáveis para
Te servir são pagos com o teu dinheiro porém
Parecem que estão a fazer favores e não trabalhar
E os órgãos previdenciários? e as prefeituras com
Combate às pragas e às epidemias? são umas
Verdadeiras pragas percalços e empecilhos ao
Bem estar dos cidadãos nas áreas pobres  e
Miseráveis é latente a ausência do poder público
E depois ainda querem respeito e serem chamados
De autoridades responsáveis vergonha é pouca
Para a indignação e a falta de dignidade
Como querem que o povo tenha amor-próprio?
Como querem que o povo tenha auto-estima?
Como querem que o povo tenha auto-confiança?
Como querem que o povo tenha moral-elevado?
Não dão ao povo as mínimas condições de conforto e
Felicidade não dão ao povo as mínimas noções de
Direitos só de deveres e das condições de gerar os
Lucros e os ganhos dos plenipotenciários e as crianças
O desleixo com as crianças os loucos os deficientes mentais
Os marginalizados todos vítimas do desamparo do
Estado e da sociedade é uma calamidade tragédia
E catástrofe e querem paciência querem que o povo
Faça a parte dele querem que o povo pague mais
Impostos querem que o povo seja mesário querem
Que o povo participe e lucre só em demagogia só
Em deficiência incompetência e depois reclamam
Quando o povo reage ao ser coagido pela força da lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário