sexta-feira, 27 de julho de 2018

Quero que todos entendais e não cobreis de mim; NL, 040202009; Publicado: BH, 020402010.

Quero que todos entendais e não cobreis 
De mim dinheiro riquezas poder ou força
E não nasci para ganhar dinheiro para ser 
Rico poderoso ou forte até hoje ainda 
Não sei mesmo para que nasci qual é o 
Meu papel nesta vida aqui mas disto tenho
A certeza não nasci para satisfazer
Alguém para ter orgulho egoismo
Inveja ou ambição não nasci para
Juntar cifrões e é assim que serei
Até o último dia de minha vida dou
Mais valor ao voo de uma borboleta
Azul do que ao trajeto de um carrão
Não dou valor ao bife suculento e
Sim a um pedaço de pão quero que
Todos presteis atenção não tenteis 
Entender-me nem eu mesmo entendo-me
Não nasci para comprar e nem para
Vender sinto mais atração por mendigos
Seres dos subterrâneos do lado escuro
Da vida que vivem pelos cantos e
Pelos contornos das ruas de fundo que
Andam rente aos muros nas penumbras
E nas sombras das paredes e se escondem
Nas caladas da noite não nasci para
Aqueles que brilham durante o dia
Ou que só existem para as luzes dos
Holofotes minha luz é a das estrelas
Da lua do sol do vaga-lume podeis
Criticar-me chamar-me de mentiroso covarde
Medroso podeis-me excluir do meio
De vós não queirais a minha companhia
Eu sozinho comigo mesmo já estou
Muito bem acompanhado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário