quinta-feira, 28 de junho de 2018

A burrice é como a arreceada; BH, 0260801999; Publicado: BH, 0230602012.

A burrice é como a arreceada
Ao brinco de argola preso no focinho
De um touro bravo e indomável
Nunca terei uma arrecadação inteligente
Um local onde se arrecada a cultura
A cobrança constante do uso da inteligência
Nunca poderei corresponder à altura
A burrice não deixa
Nada para arrecadar de útil e favorável
Ao desenvolvimento;
Como gostaria de ser um arrecadador
De obras-primas e de obras de arte
De obras eruditas e de obras clássicas
E de obras barrocas
De obras sábias e geniais e colossais
Minha cabeça cheia de arrecifes
Minha mente de atol
Impedem a entrada de qualquer
Ato de arrecadamento em benefício
Da sabedoria e da cultura
Arreda para lá mediocridade
Fora burrice afasta tolice
Quero expressar o afastamento
O arredamento de todo o entulho
O remover de toda podridão
Que causam a paralisia cerebral
Vou arredar-me de mim mesmo
Viver arredio e afastado
Desviado dos caminhos
E esquivo e pelas sombras
Para não misturar com as pessoas normais
E nem ofuscar com a opacidade
O brilho da luz dos outros
Até que o tempo me faça aprender
O que penso ser impossível
Até que a vida me ensine a viver
O que também é mais impossível ainda
Até que sinta brotar na escuridão
O resplendor da luz da razão
Sai para lá assombração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário