quarta-feira, 6 de junho de 2018

Não quero ser venerado por nada e nem por minha obra; Publicado: BH, 0160902009.

Não quero ser venerado por nada e nem por minha obra 
Não quero ser o que é objeto de reverência.
Não preciso de respeito e nem admiração e quem
Tiver alguma consideração comigo deixe-me morrer
Sozinho e em paz não sou santo para devoção e
Nem motivo para culto e muito menos ídolo para
Adoração odeio ser sintético como ser famoso
Odeio tudo que é elaborado e produzido artificialmente
Por síntese da química midiática minha ótica
São as coisas da inteligência e da sabedoria
O aspecto ou perspectiva dos objetos vistos são as coisas
Da cultura e a visão da filosofia quero macerar
A rudeza de qualquer maneira amolecer a bruteza
Seja pela ação de liquido ou por meio de pancadas
Ou impregnar com os princípios solúveis de uma substância
Sólida para anular o peçonhento quero ser o antídoto
Para o que tem peçonha e para o ser venenoso
Só não quero é ser celebridade numa nação
Sem cérebros, que vive eternamente em recesso e
Cuja suspensão temporária das atividades é infinita
Luto para ser um visionário um prévio que diz e que
Faz antes do fato acontecer antes de outra coisa já
Sabe o resultado do dito e quando vê que é ruim o feito
Anterior de antemão procura alertar o irmão mas sem
Aconselhar e fica antecipado e prevenido a esperar o escorregão
É com afinco perseverança e persistência que
O homem irá transcender e a agir assim terá o
Aval o apoio moral e intelectual mas desde que
Desista da idria de querer ser superior aos
Outros de se achar outra coisa exceder-se por
Causa dos holofotes e avantajar-se pelas benesses
Disponíveis ao seu bel prazer pelos plantonistas da fama
E sei que não chego nem aos pés de um alguidar
u sei que qualquer vaso de barro ou de metal baixo
Ou em forma de tronco de cone invertido e com
Diversos usos domésticos tem mais utilidade do que
Tenho e que nem para ababá nem para alguidar
Dou alguma coisa seja lá o que for pois sofro
Com o confisco da sociedade que só sabe apoderar-se
Do destino de cada um e apossar-se da vontade de
Cada um que não sabe como reagir desse confiscar
Diário até das nossas atenções mais elevadas e reais
É uma extrema-unção uma unção como se fossemos
Uma república dos doentes e com óleo próprio o tal
Óleo dos enfermos age como o que constitui um dos sete
Sacramentos da Igreja Católica que é a que realmente
Precisa da unção dos enfermos e dos sacramentos dos
Enfermos basta então dessa ingerência chega de
Intervenção no nosso coração e influência na nossa mente
É sair do invólucro é rasgar tudo quanto serve
Para nos envolver é destruir todo envoltório


É ser voluntário e sem involutório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário