sexta-feira, 8 de junho de 2018

Ar; BH, 0200801999; Publicado: 0190602012.


Ar 
Mistura gasosa sagrada
Que constitui a atmosfera;
Não pode ser ferido e nem manchado
Eterna aragem de virgem
Clima sempre propício à vida;
Fora com o aspecto de quem abriu
Buraco na camada de ozônio
E que com a poluição machucou
A aparência do azul perpetuador;
Fisionomia clara e transparente
Sem fumaça e chuva ácida e efeito estufa;
A mostrar ao mundo o modo de comportar-se
Para respirar-se sem apneia e sufoco
Com todo espaço aéreo livre;
Mesmo condicionado no sistema de
Circulação renovação e resfriamento
Do ar de recinto fechado;
Livre em campo aberto
A dar todo dia de manhã à noite
O ar de sua graça a parecer no pulmão
Comparecer no nosso nariz
A algum lugar do mundo;
Tomar o ar para nunca faltar
Respirar para preservar
Passar a vida adiante avante avançar;
Legar uma herança soprante
Ir para local descoberto e olhar
O firmamento sem trevas
Sem manchas negras nódoas;
Mágoas de lágrimas sentidas
Os descendentes a respirar por aparelhos;
É o que temos de evitar
E erguer um ara ao ar;
Um altar de adoração e centro
Pedra consagrada que nos envolve
Sem nos esmagar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário