domingo, 3 de junho de 2018

Meu raciocínio não é apriorístico; BH, 0200801999; Publicado: BH, 0130602012.

Meu raciocínio não é apriorístico
E não consigo libertar-me
Deste aprisionamento que sufoca-me,
Impede-me de respirar
E quer cada vez mais aprisionar
O ar dentro do meu peito;
Tudo em mim é prisioneiro,
Tudo que tenho está em prisão;
No meu mar não existe lugar,
Para minha embarcação aproar;
Não existe o caminho,
Para dirigir a proa,
Em determinada direção;
Não sei encaminhar meus passos,
Nada em mim é aprobativo,
O que tenho que aprovar,
Qual aprovação envolve-me?
Vivo um aprofundamento superficial,
Quero aprofundar-me à tona d'água;
Tornar-me fundo no raso,
Estudar sem saber ler;
Pesquisar e não ter enciclopédia;
Penetrar em mim mesmo
E não encontrar saída;
Aprontar meu semblante,
Pôr-me pronto e preparado,
Vestido e arrumado e não aparecer,
Ninguém para a minha apreciação;
Ninguém quer se apropriar de mim,
Estou a dar-me de propriedade a alguém,
Tornar-me próprio de uma pessoa,
Adequar meu espírito a outro,
Acomodar o ser para sentir,


Quem vai apossar-se de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário