terça-feira, 5 de junho de 2018

Quero o que contempla e o que dá sem conferir; Publicado: BH; 0190902009.

Quero o que contempla e o que dá sem conferir
Alguma coisa seja a quem lá for como prêmio ou 
Prova de consideração e o coração cheio de amor 
E quero a crença e ser aquilo em que se crê ser o 
Objeto de convicção íntima a opinião adotada com 
Fé e quero ser o crível e o que no que se pode crer 
Pois necessito ser acreditável na empreitada
Que na vida vou obter não na obra por conta de
Outrem não mediante de retribuição previamente
Ajustada quero a tarefa do episódio do destino meu
Com a arte de explorar condições favoráveis com o fim
De alcançar objetivos específicos não para mim mas para
Toda a humanidade esta é a estratégia da estripulia
Que coube-me na vida a bulha da seriedade e
A travessura da sinceridade a tropelia da realidade
 E a embrulhada da notoriedade a desordem que
Causa a verdade e o conflito da existência ser
Gangster membro de um grupo de malfeitores que nas
Grandes cidades cometem assaltos e roubos à mão
Armada individuo sem escrúpulos e perigoso
Ou não e ter a alma imputa e ter que atribuir
A alguém a responsabilidade do que for ingerido
Por nós do que querem nos meter no estômago
Ou nos fazer engolir os litígios os malefícios o pirado
Meu símiolhante age semelhante a um macaco é
Adoidado malucado pirou pela guerra a raça
Humana não precisa mais de sortilégio basta e o
Que é que quer o ser humano não é mais bruxedo
É sim brinquedo não é mais feitiço ou prejuízo seja
De qual forma for o mal o dano só o que causa
O amor que vem maleficiar pendência pessoal espiritual
E um dia poderá por fim à contenda ou encerrar a tal
Da disputa a demanda eterna e o pleito que não
Chega nem a ser uma questão judicial quero o
Azul do céu o vento as nuvens ai firmamento sei que
Nada tu fazes para acelerar meu tormento nunca bem
Sei conspirarás para o meu sofrimento borboletas árvores
Natureza perdoeis-me o que fiz por vós? formigas
Besouros mulheres que não amei pessoas que não
Soube amar perdoeis-me lágrimas que nunca derramei
Pois nunca soube chorar canções que nunca cantei pois
Jamais soube cantar então por não ter correspondido
Por não responder às expectativas e nem ter respostas
Soluções e resoluções universo eterno não se cales diante
De mim cobres-me com a vida e não cobres-me
De esperança pois não mereço pertencer a seio tão emanado
De luz e tão representativo da presença divina.



Nenhum comentário:

Postar um comentário